Opinião Vinicius Cordeiro e Bruna Franco: Animais terapeutas

Os animais podem atuar como verdadeiros terapeutas para amenizar o sofrimento de pacientes

Vinícius Cordeiro - 29/03/2018 09h30

Bela, a cadela que diverte as crianças no Hospital da Criança Foto: Carol Garcia/GOVBA

Os animais ditos de “estimação”, ou domésticos, têm sido, em tempos recentes, verdadeiros terapeutas, em clínicas médicas ou instalações hospitalares. No Brasil, hospitais paulistanos foram pioneiros em utilizar animais como fator de recuperação da moral dos pacientes, desde 1997, ou mesmo amenizar seu sofrimento. Há também registro da utilização em asilos, amenizando a solidão de idosos e pacientes, tudo com ótimos resultados comprovados.

Esse tipo de tratamento é conhecida como zooterapia, ou ainda como Terapia Assistida por Animais (TAA), ou “pet terapia”, e além de cães e gatos, outros animais como coelhos, tartarugas e até – répteis têm sido utilizados. Cabe registrar que a terapia com animais foi largamente utilizada com cavalos, na conhecida equoterapia. Há estudos abalizados que comprovam a eficácia do contato de animais com pessoas hospitalizadas ou em asilos. A literatura médica a respeito recomenda visitas de aproximadamente uma hora e meia, com descanso a cada 40 minutos, para evitar o estresse dos animais.

A terapia é usada para ganhos comportamentais, psicológicos, emocionais e motores. Há necessidade de treinamento dos monitores, e mesmo dos animais a ser utilizados, de temperamento dócil e adequado, e saudáveis. Podendo ate mesmo ser os animais dos próprios pacientes.

A equoterapia é usada para auxiliar o tratamento de crianças com autismo, dislexia, down, paralisia cerebral, entre outros, mas que destacamos como exemplo da importância do tema. Os cavalos que participam desta terapia, também se beneficiam, porquanto diminui o seu estresse natural no contato com os humanos.

Afinal, médicos observaram que os animais têm ajudado a incentivar o tratamento em seus pacientes, observando-se melhorias mesmo em casos como câncer, mal de Parkinson e outras doenças degenerativas, apresentando resultados melhores de aceitação e enfrentamento dos sintomas. Os pets ajudam na produção de dopamina, essencial para a sensação de bemestar. O tratamento com animais tem sido difundido, cada vez mais aceito e recomendado pela literatura médica, por seus resultados e mostrado a importância da interação entre homens e animais, cada vez mais essencial nos dias de hoje.

Vinicius Cordeiro é advogado, ex-Secretário de Proteção Animal do Rio de Janeiro.
Bruna Franco é ativista, dirigente da ONG ADDAMA e produtora executiva da ONG Celebridade Pet.