Opinião Vinicius Cordeiro e Bruna Franco: A importância do adestramento de animais

Mais do que exercícios para ensinar truques simpáticos para fazer com o cão, o adestramento visa principalmente à educação do cachorro

Vinícius Cordeiro - 12/04/2018 14h55

A maioria dos problemas comportamentais desenvolvidos pelos animais, dentro e fora de casa, foram ensinados, mesmo que imperceptivelmente, pelos próprios donos que, por não compreenderem a maneira como os cães se comunicam, acabam tratando-os de maneira errada. Como consequência, esses comportamentos causam, aos nossos amigos, problemas como ansiedade, hiperatividade, agressividade, fobias, dentre outros.

Em alguns casos, os chamados problemas de comportamento são, na verdade, condutas normais da espécie, mas que costumam ser incômodas ou desagradáveis para os tutores e, às vezes, se tornam excessivas ou compulsivas, como a marcação territorial, morder e destroçar diferentes objetos, ou cavar buracos no jardim.

No caso dos cães, eles necessitam de um líder. Um cão que graças às suas habilidades conduza os demais. Inúmeras regras são impostas por ele ao grupo. A marcação do território, por exemplo, geralmente cabe ao líder da matilha; portanto, quando o animal sair pela casa urinando, provavelmente estará disputando a liderança ou acreditando que é o líder da matilha. O líder, felizmente, impõe respeito por sinais e atitudes, e a briga só em último caso é a forma de disputa pela liderança.

Mais do que exercícios para ensinar truques simpáticos para fazer com o cão, o adestramento visa principalmente à educação do cachorro. Do mesmo jeito que crianças precisam aprender a respeitar e obedecer aos seus pais, os cães também devem passar por esse processo de aprendizagem. Os truques básicos de adestramento servem apenas para exercitar a obediência do cão.

Para saber se está tudo bem, ou não, é importante reconhecer suas necessidades básicas e os comportamentos específicos de cada espécie. O cão é um animal social. Deixá-lo muitas horas por dia sozinho e sem atividade pode gerar um grande problema comportamental. Uma das principais necessidades da espécie não está sendo atendida. Da mesma forma, gatos tem dificuldade a se adaptar com novos indivíduos, devido à sua característica mais individualista. Portanto, adquirir um novo animal, sem fazer uma adaptação adequada, pode facilitar o estresse e até o aparecimento de doenças. Muitas vezes, um problema emocional pode acarretar em um problema de saúde. Por isso, é extremamente importante observar qualquer alteração no comportamento do animal e já levá-lo ao médico veterinário.

Caso pense em adotar um animal consulte um médico veterinário num primeiro momento, e quando estiver com seu pet em casa procure um adestrador para evitar problemas comportamentais. Esses problemas normalmente são de simples resolução e impedem que sua relação familiar seja prejudicada. Não abandone os animais! Procure ajuda e orientação.

Vinicius Cordeiro é advogado, ex-Secretário de Proteção Animal do Rio de Janeiro.
Bruna Franco é ativista, dirigente da ONG ADDAMA e produtora executiva da ONG Celebridade Pet.