Ectoparasitoses: A doença do carrapato em cães

A doença do carrapato tem cura e já no início do tratamento o animal apresenta melhora

Vinícius Cordeiro - 30/08/2018 13h43

A doença do carrapato, também conhecida como hemoparasitose, é uma das mais temidas pelos donos de cachorros, pois, apesar de possuir tratamento e cura, os seus sintomas causam preocupação e a enfermidade também pode ser fatal para o pet.

A doença do carrapato se apresenta de duas formas: a erliquiose (erlichiose) e a babesiose. Elas são transmitidas pelo carrapato marrom (Rhipicephalus sanquineus). Ele se aloja no corpo do animal e se alimenta de sangue. As duas formas da doença são causadas por agentes diferentes, e também podem acometer o cão simultaneamente, agravando ainda mais seu quadro clínico. É muito comum durante o verão, pois esses parasitas precisam de luz e umidade para se reproduzirem.

O carrapato do cão é encontrado no meio ambiente muito facilmente, como canis, muros, telhados, batentes de portas, troncos e cascas de árvores, parte de baixo de folhas e plantas, residências etc. Esse parasita é muito sensível à claridade, por isso se “escondem” em ambientes com pouca luz.

O sintoma mais claro da doença do carrapato é, provavelmente, a apatia. Os outros sintomas mais comuns são: febre, falta de apetite, perda de peso e uma certa tristeza podem surgir entre uma e três semanas após a infecção; pequenas hemorragias, vômitos, manchas avermelhadas na pele, problemas dermatológicos, anemia, plaquetopenia (plaquetas baixas), dificuldades respiratórias, abdome sensível e dolorido, aumento do baço, do fígado e dos linfonodos, maior facilidade em adquirir outras infecções.

O diagnóstico só pode ser realizado por um médico veterinário. No início da infecção, é difícil a detecção, pois os sintomas são semelhantes a várias outras doenças, como a cinomose, por exemplo. O diagnóstico pode ser feito através da visualização da bactéria em um esfregaço de sangue (exame que pode ser realizado na clínica veterinária) ou através de testes sorológicos mais sofisticados. Quanto mais cedo for diagnosticada a doença, maiores são as chances de recuperação e cura.

A doença do carrapato tem cura e já no início do tratamento o animal apresenta uma melhora nos sinais clínicos, mas para uma eliminação total é necessário um tempo maior, levando semanas a meses para efetivamente livrar o animal da doença. O tratamento deve ser iniciado o mais cedo possível, pois a doença do carrapato pode levar a uma degeneração da medula (parte do corpo responsável pela produção dos glóbulos vermelhos do sangue) o que é capaz de causar uma anemia profunda, podendo levar o animal a óbito.

Não existe vacina para prevenir a patologia, mas há diversos medicamentos utilizados para a prevenção desses ectoparasitas. No mercado, encontram-se diversos tipos de produtos para manter o ambiente livre de pulgas e carrapatos, como talcos e sprays.

Lembre-se que a doença pode ocorrer mesmo que você não tenha percebido um carrapato no seu animal, pois, por exemplo, um carrapato infectado pode ter passado pouco tempo no corpo de um cão e transmitido a doença a ele.

Vinicius Cordeiro é advogado, ex-Secretário de Proteção Animal do Rio de Janeiro.
Bruna Franco é ativista, dirigente da ONG ADDAMA e produtora executiva da ONG Celebridade Pet.