Tudo igual

Quem é o melhor do mundo, no futebol? Messi ou Cristiano Ronaldo?

Sergio du Bocage - 25/10/2017 09h15

Premiados no The Best FIFA Football Awards Foto: Alexander Hassenstein/FIFA via Getty Images

Quem é melhor: Messi ou Cristiano Ronaldo? Com certeza você já fez ou respondeu a essa pergunta, e mais de uma vez. E as respostas podem variar para um ou outro lado, de acordo com a vontade do freguês. Seu time precisa de um jogador mais habilidoso, de criação? Messi. De um mais decisivo, de força? CR7. Se bem que o Messi é tão artilheiro quanto. E que o CR7 também serve os companheiros com frequência.

Há quem diga que Messi é craque, nasceu com o dom dos gênios do futebol. E que Cristiano Ronaldo quase chega lá, mas por causa de muita dedicação aos treinos, o que também não deixa de ser muito louvável. Por outro lado, Messi, até bem pouco tempo, era contestado na seleção argentina, até fazer três gols num jogo e garantir a vaga na Copa. CR7 é ídolo em Portugal. Apaixonado por bater marcas, ele tem uma a ser alcançada – levar os portugueses a uma semifinal de Copa do Mundo e terminar no mínimo um terceiro lugar, como Eusébio, em 1966 (vale dizer que CR7 integrava a seleção em 2006, quando Portugal terminou em quarto lugar, mas os astros da época eram Figo e Deco).

O fato é que a dupla soma 10 prêmios de Melhor do Mundo da Fifa. Cada um com cinco. Cristiano Ronaldo ganhou em 2008/2013/2014/2016/2017. Messi em 2009/2010/2011/2012/2015. Ou seja, quem foi com eles nos últimos dez anos, já sabia que não ia ganhar.

E como será no futuro? Até quando haverá essa hegemonia? Quando um brasileiro vai faturar o troféu? Neymar, este ano, teve votação menor que em 2015. Será que o PSG vai ajudar o principal jogador da nossa seleção nessa caminhada?

CRISE NO MAR

Começou domingo (22), a 13ª edição da Volvo Ocean Race, que deveria ter dois brasileiros, num mesmo barco: o Akzonobel, da Holanda. Mas na véspera da largada para a primeira perna dessa regata de volta ao mundo, uma crise estourou entre o patrocinador e o comandante e o brasileiro João Signorini, o Joca, que abandonou a tripulação. Restou a medalha de ouro na Rio 2016, Martine Grael. Em duas semanas, os barcos devem chegar a Lisboa, segunda parada da regata, e lá vamos saber se a Martine segue na tripulação e se o Joca aceita voltar.

Sergio du Bocage é carioca e jornalista esportivo desde 1982. Trabalhou no Jornal dos Sports, na TV Manchete e na Rádio Globo. É gerente de programas esportivos da TV Brasil e apresenta o programa “No Mundo da Bola”.