Teremos polêmicas?

Na Copa do Brasil, Libertadores e Copa Sul-Americana o VAR será utilizado. No Brasileirão, não. Prevejo muita discussão

Sergio du Bocage - 11/07/2018 12h18

A Copa do Mundo chega ao fim dia 15 e já no dia seguinte temos a volta da Série A do Campeonato Brasileiro. Talvez você não saiba, mas as demais séries continuaram ativas e, inclusive, uma delas está quase definida.

Na série D, quatro times já garantiram o acesso à C: o Ferroviário, do Ceará; o São José, do Rio Grande do Sul; o Imperatriz, do Maranhão; e o Treze, da Paraíba; estão disputando as semifinais, mas já conseguiram o principal que é a classificação para a Terceira Divisão.

E que lição teremos da Copa? Ao que parece, nenhuma.

Taticamente nada de novo surgiu. Até o forte esquema defensivo, de cinco jogadores na última linha de defesa não é novo. Movimentação constante, jogadores criativos um pouco mais recuados em busca de mais espaço. Talvez tenhamos descoberto que antes de Neymar ser eleito o melhor do mundo – se é que isso vai acontecer um dia -, há outros candidatos atropelando por fora. A dúvida que fica é se, hoje, o PSG pagaria por ele o que pagou há cerca de um ano.

Árbitro de vídeo também é chamado de VAR Foto: CBF/Divulgação

De novidade, mesmo, só o uso do árbitro de vídeo que, como já citei aqui, vai trazer problemas. Podem me cobrar. E sabem por quê?

A partir de agosto, voltam também os jogos da Copa do Brasil, da Libertadores e da Copa Sul-Americana. Nessas três competições, o VAR será utilizado. No Brasileirão, não. Comportamentos distintos, a começar pelo próprio árbitro, que será o mesmo num e noutro torneio, tendo de se adaptar aos recursos que terá para apitar.

Vai ter jogador pedindo VAR em partida sem esse recurso e torcedor dizendo que “o juiz está roubando e aproveitando que não tem tecnologia no campo”. Novas polêmicas a caminho. Espero estar muito enganado, mas tenho o pressentimento de que não.

Sergio du Bocage é carioca e jornalista esportivo desde 1982. Trabalhou no Jornal dos Sports, na TV Manchete e na Rádio Globo. É gerente de programas esportivos da TV Brasil e apresenta o programa “No Mundo da Bola”.