Refazendo contas

A 27 pontos do fim do Brasileirão, Palmeiras, Internacional e Flamengo são os únicos na briga pelo título. Você concorda?

Sergio du Bocage - 17/10/2018 12h23

Há cerca de um mês, quando faltavam 14 rodadas para o fim do Brasileirão, comentei aqui sobre chances de título e riscos de rebaixamento. Algumas coisas mudaram, em especial na parte de cima. Naquela época, o Internacional surgia como favorito, com 42% de chances de ser o campeão – agora o Palmeiras surge com 68% e o Inter tem 20%. Em baixo, os quatro últimos seguem sendo os mesmos – Paraná, Sport, Ceará e Chapecoense. Então vamos falar da briga em cima.

Desde 2006 a Série A é disputada por 20 equipes. E nesse período, o líder do Brasileirão na 29ª rodada acabou campeão em nove das 12 edições. Primeiro ponto favorável ao Palmeiras. Em apenas três houve mudanças: em 2008, o Grêmio, com 56 pontos, acabou superado pelo São Paulo, o quarto, com 52; em 2010, o Cruzeiro, líder com 54, ficou para trás do Fluminense, que era o segundo, com 52. A terceira pode preocupar uns e motivar outros – em 2009, como agora, o líder era o Palmeiras, com 54. Mas o campeão foi o Flamengo, que tinha apenas 47, sete pontos atrás, com uma outra coincidência. À frente dele, a apenas um ponto, estava o Internacional, como agora. Qual história vai se repetir?

Apesar de ainda termos 27 pontos em disputa, vou arriscar dizer que o São Paulo não será o campeão. Isso contraria uma das tradições do Brasileirão, a que afirma que o campeão do turno termina campeão no fim do ano. Isso também só não aconteceu três vezes, em 2008 e em 2009, como já citado, e em 2012, curiosamente como em 2010 envolvendo o Fluminense.

Então, considerando também que o próprio Grêmio já anunciou que vai brigar apenas para ficar no G4, podemos dizer que apenas Palmeiras, com 59 pontos, Internacional, com 56, e Flamengo, com 55, estão na briga pelo título. Nesse mesmo período de tempo (desde 2006), a pontuação máxima atingida por um campeão foi de 81 pontos, com o Corinthians, em 2015; a mínima, 67, com o Flamengo em 2009. Para o matemático Tristão Garcia, 76 garante o título, já que, até hoje, em 12 edições, o máximo que o vice-campeão atingiu foram 72 pontos, com o Grêmio, em 2008, e o Atlético-MG, em 2012.

Agora é com vocês. Façam e refaçam as contas e, até o fim do campeonato, a gente volta a conversar.

Sergio du Bocage é carioca e jornalista esportivo desde 1982. Trabalhou no Jornal dos Sports, na TV Manchete e na Rádio Globo. É gerente de programas esportivos da TV Brasil e apresenta o programa “No Mundo da Bola”.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo