Opinião Sergio du Bocage: O teste

O amistoso foi válido sim. Aprendemos, mostramos evolução e ganhamos motivação com o resultado

Sergio du Bocage - 28/03/2018 13h08

Amistoso Brasil x Alemanha em Berlim. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

O amistoso entre as seleções da Alemanha e do Brasil foi um dos que mais chamaram a atenção, nas duas últimas datas Fifa. Em termos de resultado, não foi o mais impactante – a vitória da Espanha sobre a Argentina, por 6 a 1, essa sim causa espanto, mas é problema dos hermanos, e não nosso (a menos que a gente pegue a Espanha pela frente, lá na Rússia). Mas tudo o que envolvia o clássico chamou a atenção e será considerado no Mundial.

Os dois resultados, contra Rússia e Alemanha, servem para o psicológico do time. A vitória sobre a Rússia foi dificultada no início pela forte marcação adversária, que aliás é o que se espera enfrentar na Copa. De valioso foi a atuação de Philippe Coutinho e a demonstração de que, sim, é possível jogar sem Neymar.

Mas contra a Alemanha era mais importante. Não só por ser o primeiro jogo após o famoso 7 a 1, mas também por ser um adversário bem mais difícil. E vencemos por 1 a 0.

Só que, sem desmerecer o resultado (afinal, nossa Seleção nada tem a ver com as opções do adversário), a Alemanha foi inteligente e poupou seu time, entrando de cara com quatro desfalques, poupados do amistoso. Além disso, o técnico Joachim Löw fez cinco substituições, dando experiência a seus jogadores e observando alternativas. Tite não. Foi com o que tinha de melhor e só fez uma mudança, já conhecida de todos.

A novidade do Brasil foi entrar em campo com um esquema mais cuidadoso, com praticamente três volantes, o que não tirou o ímpeto ofensivo da equipe. Não há dúvidas de que temos bons jogadores, capazes de decidirem jogos. Mas até que ponto o individual vai suplantar o coletivo? Creio que essa é a dúvida que vamos levar.

O amistoso foi válido sim. Aprendemos, mostramos evolução e ganhamos motivação com o resultado. Mas não sei porque: acredito que para a Alemanha, mesmo saindo de campo derrotada, o teste foi ainda melhor.

Sergio du Bocage é carioca e jornalista esportivo desde 1982. Trabalhou no Jornal dos Sports, na TV Manchete e na Rádio Globo. É gerente de programas esportivos da TV Brasil e apresenta o programa “No Mundo da Bola”.