Opinião Sergio du Bocage: Família, esporte e as denúncias de assédio

Denúncias no esporte sobre assédio e abuso sexual. Esse tema, infelizmente, não é novo. Como proteger nossos filhos?

Sergio du Bocage - 02/05/2018 10h18

O ex-técnico da Seleção de Ginástica, Fernando de Carvalho Lopes Foto: RicardoBufolin/CBG

Quando a primeira grande denúncia surgiu nos Estados Unidos, o assunto repercutiu por aqui, mas não alcançou a dimensão devida. Em janeiro deste ano, o ex-médico da Federação de Ginástica norte-americana, Larry Nassar, foi condenado a até 175 anos de prisão por abusar sexualmente de atletas, a maior parte delas menor de idade. Mas agora esse fato lamentável parece se repetir por aqui. Ainda estamos na fase das denúncias, mas o fato é que uma reportagem do Fantástico, da TV Globo, aponta o técnico Fernando de Carvalho Lopes como suspeito de ter abusado sexualmente de atletas do clube MESC, de São Bernardo do Campo, São Paulo.

Muito ainda será dito a respeito, faz-se necessário provar as denúncias. Mas ainda mais importante do que isso é pensar em como proteger nossas crianças, que buscam o esporte ou como uma prática saudável, ou como lazer, ou por uma necessidade clínica ou, até mesmo, pelo sonho de ter uma vida financeira melhor.

O programa Stadium, da TV Brasil, conversou com o psicólogo Rodrigo Acioli, que é membro da Associação Brasileira de Psicologia do Esporte (você pode conferir a entrevista aqui). E destaco um ponto importante que ele citou: o papel da família nesse processo.

É fundamental não haver preconceito e acolher a criança, ainda em fase de formação. É importante mostrar às crianças que a casa/família é um espaço acolhedor, onde ela deva ter toda a confiança e conversar abertamente, sem medo de ser recriminada ou discriminada pelos pais. A orientação dos pais sobre esse tema precisa ser feita de forma clara, sem qualquer vergonha, para que a criança também se sinta segura para verbalizar o que ela está enfrentando no clube ou na escola.

Segundo o psicólogo, até pouco tempo atrás alguns temas eram abordados em casa mais com as meninas, mas atualmente isso se faz importante também com os meninos. Outra questão é a da insegurança, pois as crianças, e as famílias, muitas vezes alimentam sonhos de conquistas por meio do esporte e expor uma situação como essa pode interromper esse projeto. E isso não pode acontecer.

Certamente que o tema não é novo no esporte. Os depoimentos comprovam isso, e muito provavelmente teremos outras denúncias surgindo. Isso é triste. Ninguém inscreve um filho ou filha numa escolinha pensando em que ele (a) poderá sofrer qualquer tipo de assédio. Vamos ficar atentos.

E a grande lição que se tira disso é o papel da família. Ela é o centro de tudo, é nela que devemos buscar o apoio. É com ela que devemos compartilhar nossos sentimentos, sejam eles bons ou ruins.

Sergio du Bocage é carioca e jornalista esportivo desde 1982. Trabalhou no Jornal dos Sports, na TV Manchete e na Rádio Globo. É gerente de programas esportivos da TV Brasil e apresenta o programa “No Mundo da Bola”.