Opinião Sergio du Bocage: Faltam sete

Será que o torcedor brasileiro nem deu a devida atenção à convocação feita pelo técnico Tite?

Sergio du Bocage - 14/03/2018 10h15

O treinador da Seleção Brasileira, Tite Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A última convocação para a Seleção Brasileira, antes da lista final de 23 jogadores que irão à Copa, trouxe algumas surpresas. Todas para posições em que ainda há espaço para novidades. Mas uma coisa chama a atenção: se fosse outro treinador, o torcedor teria recebido os novos nomes com a mesma tranquilidade? Ou, pior: será que o torcedor nem deu a devida atenção à convocação?

O goleiro Neto, do Valência, o meia-atacante Talisca, do Besiktas, e o centroavante Willian José, do Real Sociedad, são as novidades. A uma convocação da lista final, você acha que algum deles realmente tem chances de ser chamado para a Copa? Por outro lado, se não tiverem essa chance, por que chamá-los e não fazer teste com quem já esteve no grupo da seleção?

São muitas questões ainda sem resposta. O Tite já revelou nomes confirmados na Copa – o time apontado como titular com Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho, Renato Augusto e Coutinho; Neymar e Gabriel Jesus, e quatro reservas Ederson, Thiago Silva, Fernandinho e Willian. É claro que os titulares podem mudar, mas essa é a base.

Os sete nomes que faltam seriam um goleiro, dois laterais, um zagueiro, um meia, um atacante e um “polivalente”, que desempenhe mais de uma função. Alguns já podem estar mais próximos da Copa, diante da nova convocação: o lateral Filipe Luís, o volante Fred e o atacante Douglas Costa. Outros, como Luan, do Grêmio, parece ter perdido espaço, apesar de se destacar em seu time. Há quem diga que a forma com que ele atua no Sul não combinaria com o esquema da Seleção. Diego, do Flamengo, por exemplo, mudou de posição no time para atender a uma possível necessidade de Tite – vamos conferir na lista final.

Cássio, goleiro do Corinthians; Danilo, lateral do Manchester City; Geromel, do Grêmio, e Rodrigo Caio, do São Paulo, são os laterais na briga; entre os meias, Arthur, do Grêmio, Diego, do Flamengo, e Lucas Lima, do Palmeiras, seriam os cotados; no ataque a novidade poderia ser a maior, com a ida de um centroavante de ofício, caso do recém-chamado Willian José.

Agora é esperar.

Sergio du Bocage é carioca e jornalista esportivo desde 1982. Trabalhou no Jornal dos Sports, na TV Manchete e na Rádio Globo. É gerente de programas esportivos da TV Brasil e apresenta o programa “No Mundo da Bola”.