O calendário que não funciona

De agora até o fim do ano teremos a reta final de quatro competições

Sergio du Bocage - 23/08/2017 13h40

O calendário que não funciona / Foto: Pixabay (adaptação)

Existem três tipos de calendários: o solar, baseado no movimento da Terra em torno do Sol (calendário cristão); o lunar, baseado no movimento da Lua (calendário islâmico); e o lunisolar, que é um misto dos dois (calendário hebreu). Mas criamos mais um, que não funciona: o calendário do futebol brasileiro.

E a prova disso está nessa temporada de 2017. De agora até o fim do ano teremos a reta final de quatro competições: o Brasileirão, a Copa do Brasil, a Copa Sul-Americana e a Copa Libertadores. Na principal do nosso calendário, o Brasileirão, o Corinthians é o líder disparado. E isso está fazendo com que os prováveis candidatos ao título abram mão dessa disputa para tentar ser campeões em outra frente, o que ainda lhes asseguraria uma vaga na Libertadores 2018. Se bem que, desde o ano passado, nosso campeonato já garante ao menos seis vagas para o torneio continental.

O fato é que o Brasileirão esvaziou. O que seria o maior campeonato do futebol brasileiro só interessa aos corintianos, que nada têm a ver com essa história e devem mesmo festejar. Mas futebol é negócio. E, por isso, a CBF estuda o que fazer para valorizar seu produto. Já passou da hora de mudar nosso calendário. Sosígenes mudou o cristão em 45 a.C. É tudo questão de necessidade e coragem.


Sergio du Bocage é carioca e jornalista esportivo desde 1982. Trabalhou no Jornal dos Sports, na TV Manchete e na Rádio Globo. É gerente de programas esportivos da TV Brasil e apresenta o programa “No Mundo da Bola”.