Coluna Sergio du Boccage: Muito dinheiro

O futebol mudou, fazer uma troca entre jogadores de times rivais deixou de ser algo fácil. Há muito mais gente envolvida e o dinheiro fala muito alto

Sergio du Bocage - 17/01/2018 08h00

Nos anos 70, no Rio de Janeiro, o presidente do Fluminense, Francisco Horta, criou o famoso “troca-troca”, com o objetivo de fortalecer seu time e, como dizia, os rivais. As negociações envolvendo os clubes agitavam o noticiário e deixavam as torcidas quase sempre bem satisfeitas. Bons tempos, em que a paixão ainda falava mais alto que o dinheiro.

Mas o futebol mudou, e fazer uma troca entre jogadores de times rivais deixou de ser algo fácil. Há muito mais gente envolvida e, sem dúvida, o dinheiro fala muito mais alto, até porque a paixão quase já não existe no futebol profissional.

No fim de semana passado uma notícia sacudiu o futebol mundial. O presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, anunciou estar disposto a tudo para ter o brasileiro Neymar no seu time. Nem que, para isso, inclua o craque português, Cristiano Ronaldo na transação. E mais: aceita pagar 400 milhões de euros, algo em torno de R$ 1,5 bilhão, para ter sucesso no negócio.

Aos 32 anos, 5 vezes eleito o melhor do mundo, CR7 tem multa rescisória de 1 bilhão de euros. Neymar, que completa 26 agora em fevereiro, custou 222 milhões de euros ao PSG. Só aqui já se vê a disparidade do negócio. Mas a obsessão do dirigente espanhol, ao que parece, não encontra limites.

O problema, para o Real Madrid, é que o PSG não precisa de dinheiro. O clube francês pertence a um fundo de investimento ligado ao governo do Qatar. E investiu em Neymar para contar com a figura do jogador que, espera-se, será um dos protagonistas da Copa da Rússia. E que daqui a quatro anos vai estar em seu apogeu, em plena Copa que os catarianos vão sediar.

Pela história no futebol, não há dúvidas, hoje, de que Cristiano Ronaldo vale mais que Neymar. Seus números são superiores. A questão é a diferença de idade, pois o brasileiro é seis anos mais novo, com mais futuro pela frente.

E daí eu pergunto: Neymar vale todo esse dinheiro? E você, prefere ter quem em seu time: Neymar ou Cristiano Ronaldo?

Sergio du Bocage é carioca e jornalista esportivo desde 1982. Trabalhou no Jornal dos Sports, na TV Manchete e na Rádio Globo. É gerente de programas esportivos da TV Brasil e apresenta o programa “No Mundo da Bola”.