Coluna Sergio du Bocage: Girls x Kids

A F1 anuncia a contratação de Grid Kids – crianças para ficar com os pilotos, tipo gandula de futebol ou boleiro de tênis. Não seria exploração de trabalho infantil?

Sergio du Bocage - 14/02/2018 09h15

Não se espante, leitor do Pleno.News, hoje não vou falar de futebol, mas de Fórmula 1. Mais exatamente da polêmica com o fim das Grid Girls, como são conhecidas as modelos contratadas pelas marcas para acompanhar os pilotos no grid, minutos antes da largada para mais uma prova.

Tudo começou em setembro de 2016, quando o grupo norte-americano Liberty Media comprou, por 8 bilhões de dólares, as ações da CVC Capital Partners, que era a detentora dos direitos da F1. A partir de então algumas mudanças foram implementadas, mas nenhuma repercutiu tanto quanto esta, com as meninas do grid. Segundo o diretor de marketing da F1, a prática seria “questionável com as normas sociais modernas”.

Grid girls são uma tradição na F1. Modelos que acompanham os pilotos e abrilhantam o espetáculo Foto: Pinterest

Então vamos em frente: que terminem os espetáculos nos intervalos dos jogos da NBA; pelo fim das cheerleaders; feiras de eventos não podem mais ter recepcionistas nos estandes. Por que o trabalho das modelos, na promoção das marcas, é questionável com as normas sociais modernas?

Esse debate agita a Europa há algum tempo em Mônaco, em 2015, foram contratados Grid Boys para acompanharem os pilotos, mas essa medida da Liberty Media fez explodir uma avalanche de manifestações dos dois lados. Houve modelo postando fotos com as roupas de trabalho, todas sociais e sem qualquer exposição; outra lembrou que hoje é dublê de piloto pela oportunidade que teve no trabalho nos grids.

A polêmica promete seguir. A F1 anuncia a contratação de Grid Kids – crianças para ficar com os pilotos, tipo gandula de futebol ou boleiro de tênis. “Não seria exploração de trabalho infantil?” podemos questionar. Os critérios para escolha das crianças são discutíveis – indicação ou sorteio. Ou ainda crianças que já participem de provas de automobilismo, como kart, o que já reduz sensivelmente o universo de candidatos.

Como a questão é polêmica, deixo para vocês o debate em aberto. Se querem minha opinião, sou a favor da manutenção das meninas. Faz parte do espetáculo, é trabalho honesto e já é uma tradição. Mas aceito opiniões. Só confesso que até agora os argumentos apresentados não me fizeram mudar de opinião.

Sergio du Bocage é carioca e jornalista esportivo desde 1982. Trabalhou no Jornal dos Sports, na TV Manchete e na Rádio Globo. É gerente de programas esportivos da TV Brasil e apresenta o programa “No Mundo da Bola”.