A Copa do Mundo e os maus exemplos

Os vídeos que viralizaram dão uma mostra clara da falta de educação e cidadania que possa haver em um ser humano

Sergio du Bocage - 20/06/2018 16h53

Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento” (Filipenses 4:8)A citação bíblica acima é mais do que oportuna pelo que vimos nesses primeiros dias de Copa nas redes sociais. Machismo, xenofobia, misoginia, racismo, sem-vergonhice. Não importa a graduação ou adjetivo – para alguns, incrivelmente, é apenas brincadeira de mau gosto. De boa? É “vergonha”. Os vídeos que viralizaram na internet – aliás, outro motivo de vergonha o fato de terem se espalhado em profusão – dão uma mostra clara da falta de educação, cidadania, de senso crítico, de dignidade, de qualquer sentimento positivo que possa haver em um ser humano.

Ser esperto ou malandro, sempre dar um jeitinho nas coisas, se mostrar alegre acima dos demais faz com que alguns ultrapassem a barreira do aceitável. O pior é, depois, os tais “brincalhões”, quando descobertos e identificados, se apresentam com pedidos de desculpas etc etc. É uma agressão sem motivo.

A Copa do Mundo é uma competição em que equipes de futebol disputam as melhores posições. Pelo lado das torcidas, é uma oportunidade de ver os grandes craques do futebol e uma oportunidade única de trocar experiências, conhecer outros povos e costumes. Um aprendizado.

É uma pena ver os nossos “representantes” dando exemplos tão ruins.

Sergio du Bocage é carioca e jornalista esportivo desde 1982. Trabalhou no Jornal dos Sports, na TV Manchete e na Rádio Globo. É gerente de programas esportivos da TV Brasil e apresenta o programa “No Mundo da Bola”.