Neymar faz falta?

Alguém tem dúvidas de que Marta e Neymar fazem muita falta à Seleção? E o fim da carreira deles está próximo

Sergio du Bocage - 24/06/2019 11h59

É evidente que Neymar é o melhor jogador do Brasil. É óbvio que ele faz falta em qualquer time do mundo. Mas não é de hoje que se diz, também, que a Seleção Brasileira não é (ou era) mais dependente do Neymar. Depois dos dois primeiros jogos do Brasil na Copa América, as duas primeiras frases permanecem valendo; a terceira me parece que não.

Jogando em casa, com a torcida ao lado, sofrer para vencer a Bolívia e empatar de 0 a 0 com a Venezuela é vergonhoso. Não é à toa que o torcedor esteja descrente, na bronca e até mesmo torcendo para que o Campeonato Brasileiro volte a ser disputado. Não é de hoje que falamos desse distanciamento – aumentado ainda mais com os preços dos ingressos. E o pior é que, nas competições que trouxemos para o Brasil, deixamos escapar a Copa (com o agravante de um 7 a 1 para a Alemanha) e agora vamos aos trancos e barracos nessa Copa América.

Neymar não vai voltar ao time e vai para sua provável última Copa com 30 anos, lá no Catar. A Copa América poderia ser a primeira oportunidade de avaliarmos o que já temos para o Mundial e o que precisamos ajustar até lá. Com a ausência do camisa 10, essa carência ficou bem nítida. As demais vão ficar para avaliações futuras, durante mesmo as eliminatórias, se isso for possível. Deixamos de subir o primeiro degrau da preparação. Hoje, podemos dizer, com certeza, que jogando como está, o Brasil vai completar, de novo, 24 anos sem um título em Copas do Mundo

E para encerrar, as meninas. Marta, sempre ela, decisiva. Recordista de gols em Copas do Mundo, recuperando para o Brasil a coroa que Ronaldo perdeu para o alemão Klose. Com 17 gols escreve mais uma marca em sua carreira vitoriosa. Pena que ela seja, mesmo sem que tenha trabalhado para isso, maior que a seleção. Marta fugiu dos padrões do futebol brasileiro, merecia uma conquista importante com a camisa do Brasil, porque sempre lutou para isso. Vai deixar saudades. E uma lacuna sem tamanho. Não nos preparamos sequer para jogar sem ela um jogo, imaginem para nunca mais contar com ela na seleção.

Sergio du Bocage é carioca e jornalista esportivo desde 1982. Trabalhou no Jornal dos Sports, na TV Manchete e na Rádio Globo. É gerente de programas esportivos da TV Brasil e apresenta o programa “No Mundo da Bola”.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo