Leia também:
X Enfrentando resistência na Ucrânia, Putin decide “bombardear civis”

O desaparecimento de Lara causou comoção na última semana

O corpo da adolescente apresentava marcas de violência

Sargento Fahur - 21/03/2022 16h59

Lara Maria foi encontrada morta Foto: Arquivo pessoal

A adolescente Lara Maria tinha 12 anos e morava em Campo Limpo Paulista, em São Paulo. Na última quarta-feira (16), a jovem chegou da escola e pediu dinheiro para a mãe para comprar refrigerante. Recebeu o dinheiro e foi até o mercadinho distante cerca de 600 metros de sua casa. A atendente do mercadinho lhe vendeu o refri e acompanhou com o olhar a garotinha indo embora pra casa. A moça se distraiu ao atender um cliente e não viu mais Lara.

A pequena garota não chegou em casa e desapareceu. Os pais de Lara registraram um boletim de ocorrência comunicando o desaparecimento dela por volta das 15h. A família, os amigos, a comunidade e a Polícia lhe procuraram insistentemente, mas não foi localizada. Três dias depois seu corpinho foi encontrado sem vida, em local ermo, em Francisco Morato, na região metropolitana de São Paulo. Lara foi localizada por um jardineiro, em uma área de mata que fica cerca de cinco quilômetros de sua casa.

De acordo com o delegado Rafael Diório, o corpo da jovem apresentava marcas de violência. Um laudo preliminar do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a menina morreu de traumatismo craniano após levar pancadas na cabeça. Exames necroscópicos ainda irão detalhar quais tipos de violência a menina sofreu. O corpo de Lara foi enterrado neste domingo.

Lara virou estatística. Quem pegou Lara? Quem matou Lara? Alguém próximo? Conhecido? Pode ser. Mas, talvez, a única certeza que temos no momento é de que Lara não foi a primeira e não será a última a perder sua jovem vida nas mãos de seres assim. Também tenho convicção de que quem fez isso com Lara, e de quem faz isso com crianças, não pode jamais viver novamente em sociedade. Chega de hipocrisia. Pena de morte já!

Sargento Fahur é deputado federal, o mais votado pelo Paraná em 2018. Trabalhou por 35 anos na Polícia militar prendendo bandidos e traficantes.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.

Leia também1 Personal explica motivo de não usar aliança durante entrevista
2 Mulher fica noiva de morador de rua e tem filhos: 'Melhor decisão'
3 Pai baleado pelo filho por proibir uso de celular está paraplégico
4 Blogueira é assassinada a tiros em saída de bar em Recife
5 Proibido de usar celular, menino de 13 anos mata mãe e irmão

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.