CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X O insano Grupo B do Rally – Parte Final

Jesus e as táticas para seus atletas

Jesus espera que obedeçamos seu esquema tático integralmente, para termos boa performance no treinamento do mundo físico e espiritual

Ricardo Pinudo - 08/11/2017 12h35

No livro de Lucas 9:23, lemos: Jesus dizia a todos: se alguém quer vir após mim, negue a si mesmo, tome a cada dia sua cruz, e siga me. Com essas palavras Jesus nos dá uma grande orientação de como desenvolver nossa carreira espiritual relacionando com sua proposta para os competidores no jogo da vida. Em uma palestra verdadeira para definir as estratégias e táticas de sua equipe, o nosso grande capitão, o treinador dos treinadores, nos conduz, ainda no local da disputa, às suas orientações.

São três jogadas ensaiadas:

A primeira, negar a si mesmo. Todo atleta de tudo se abstém, o apóstolo Paulo afirma isso em l Coríntios 9:25. É verdade, o atleta precisa abrir mão de muitas coisas para alcançar uma boa forma e ter grandes condições de competir em ótimo nível; seja na alimentação, no lazer, nos prazeres pessoais etc. Para o atleta é necessário uma vida de RENÚNCIA. E, paralelamente, como servos do Senhor, essa palavra – renúncia – é indispensável em nosso vocabulário, em nosso currículo. Precisamos renunciar nossos interesses para focar no alvo maior, a vontade de Deus em nossa vida.

A segunda é tomar a cada dia a nossa cruz. Não podemos confundir essa instrução com os problemas oriundos de decisões equivocadas, como carro, casa, amigos, sociedade profissional, dificuldades familiares entre outras coisas do cotidiano. Definitivamente, não é essa a cruz da qual o mestre está falando. O que Ele fala é de assumirmos a nossa responsabilidade da cruz que Ele morreu, a qual nós que deveríamos estar ali. A ideia da palavra ideal aqui, é COMPROMISSO. Vestir de fato a camisa do Evangelho, em uma atitude de real comprometimento e cumplicidade com o Reino. O fato é que quando o atleta atua em uma equipe, veste a camisa dela, assina o contrato com ela e fica vinculado a ela. Então, defende, corre, luta, vibra, se esforça junto com os que torcem e sustentam essa equipe.

Por último, seguir, segui-lo. Jesus deixa muito claro que existe uma grande diferença entre andar atrás Dele e segui-lo. O Mestre estava falando para um grupo, que eu chamo de turma do “sanduba”, do pão com peixe; pessoas que queriam o show, a festa, o troféu, as medalhas e as conquistas, porém não queria compromisso com sua mensagem. Ainda hoje essa torcida se faz presente entre nós. Por isso, a palavra agora é EXCLUSIVIDADE. Não basta estar no grupo, precisamos estar somente com Ele. Jesus não pode ser apenas o melhor caminho, Ele tem que ser o nosso único caminho, não podemos ter um plano B; pois Deus não divide sua glória com ninguém.

Seria inaceitável um atleta assinar o contrato com uma equipe e atuar também por outra, certamente ele seria punido por sua federação. Da mesma forma Deus. Ele espera que obedeçamos seu esquema tático integralmente, para termos boa performance no treinamento do mundo físico e espiritual, pelo prêmio da coroa incorruptível.

Ricardo Pinudo foi jogador de Futebol em vários clubes do Rio. É formado como Treinador de Futebol pela Escola de Educação Física do Exército (Urca, RJ) e em Teologia pelo Seminário Betel. É fundador e coordenador do projeto Craques da Paz.