UFC é coisa do diabo?

Alguns rejeitam o esporte por acreditarem que qualquer tipo de luta marcial é coisa do cão

Renato Vargens - 24/07/2019 10h23

Ultimamente tenho ouvido inúmeras pessoas criticarem ou falarem mal do Ultimate Fight Championship. Pois é, alguns rejeitam o esporte em questão por acharem violento demais, outros, por acreditarem que qualquer tipo de luta marcial é coisa do cão.

Bom, o Ultimate Fight Championship, ou UFC, é um evento de luta realizado periodicamente, que reúne os melhores atletas de MMA ou Mixed Martial Arts (Artes Marciais Mistas).

Segundo os especialistas no assunto, o UFC é como se fosse a liga dos lutadores e é um dos esportes mais conhecidos e comentados do mundo. Nos Estados Unidos já é considerado o substituto do Boxe, tendo em suas lutas enormes apostas e a presença dos mais variados tipos de celebridades e magnatas.

As lutas são realizadas em um ringue chamado de Octagon. Nas regras, a luta acaba ao final do número de rounds (sendo mais comum 3 rounds de 5 minutos nas lutas preliminares e 5 rounds de 5 minutos nas lutas principais) ou quando um oponente é imobilizado ou nocauteado.

Há pouco um irmão amado me disse: Pastor, esse negócio de UFC é coisa do diabo! Um crente em Jesus não pode se envolver com um esporte tão violento como esse! Isso é sangrento demais! Isso sem falar que a prática de artes marciais oferece legalidade a Satanás.

Caro leitor, a capacidade de alguns dos evangélicos criarem “demonizarem” a vida é de apavorar qualquer um. Confesso que fico chocado com afirmações deste povo! Ora, afirmar que o UFC é obra do Coisa Ruim é demais da conta não é verdade? Tudo bem que as lutas são fortes e em alguns casos demasiadamente violentas , todavia, afirmar que isso se deve ao cramulhão é viajar na maionese.

Prezado amigo, posso dar uma sugestão? Você pode até não gostar das lutas e do UFC, (o que é um direito seu), todavia, não satanize o que não pode ser satanizado! Não demonize um esporte simplesmente pelo fato de que você o considera violento demais.

Outro ponto importante a ser ressaltado é que NINGUÉM tem o direito de impor suas percepções doutrinárias relacionados a luta esportiva ao povo de Deus. Ouso afirmar, que assistir ou não o UFC encontra-se na esfera da pessoalidade e não doutrinária, o que permite com que o individuo decida segundo a sua consciência se deve ou não assistir as lutas em questão.

Não quer ver, não veja, contudo não condene quem vê, nem tampouco espiritualize o que não deve ser espiritualizado.

Pense nisso!

Renato Vargens é pastor, conferencista, tendo já pregado o Evangelho em países da América do Sul, Norte, Caribe, África e Europa. É escritor, com 24 livros publicados em língua portuguesa e 1 em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes, editor do site renatovargens, pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói e membro do conselho da Coalizão pelo Evangelho (TGC).

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo