Por acaso é pecado um cristão fazer uma tatuagem?

Um dos temas que mais tem mais despertado controvérsia entre os evangélicos é se o crente pode ou não fazer uma tatuagem

Renato Vargens - 09/05/2018 10h22

Um dos temas que mais tem mais despertado controvérsia entre os evangélicos é se o crente pode ou não fazer uma tatuagem. Apesar de não encontrarmos um mandamento específico sobre o tema, nas Escrituras, é comum algumas pessoas citarem Levítico 19: 28 que diz: “Pelos mortos não ferireis a vossa carne; nem fareis marca nenhuma sobre vós. Eu sou o Senhor.”

Ora, ao contrário daquilo que alguns dizem, o texto em questão não proíbe o uso de tatuagens. Na verdade, a ideia do texto, é que Israel que não copiasse o costume de nações pagãs, de sua época, que faziam marcas e feridas na pele em adoração aos mortos. Portanto, esse versículo bíblico não pode ser usado para fundamentar uma proibição total da prática de fazer tatuagens.

Em contrapartida, existem aqueles que dizem que o Senhor aprova a tatuagem mesmo porque, no Apocalipse, encontramos um texto que afirma que Jesus tinha tatuado na coxa a expressão: “Rei dos reis e Senhor dos senhores.”

“E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores” (Apocalipse 19:16).

Caro leitor do Pleno.News, vamos combinar uma coisa? Usar esse texto para afirmar que Jesus incentiva a tatuagem é demais da conta não é mesmo?

Na minha opinião, um dos grandes problemas que ocorre na interpretação da Bíblia é que nós a interpretamos segundo a nossa perspectiva e ótica. Em outras palavras, isso significa dizer que projetamos para dentro das Escrituras nossas experiências pessoais, vivências e ideologias em vez de deixar a Bíblia falar por si só aos nossos corações.

O que fazer então? Posso tatuar ou não?

Permita-me lhe dar algumas dicas que lhe ajudarão a decidir se vale a pena ou não tatuar o corpo.

  1. Deus será glorificado em sua tatuagem? A tatuagem que pretende fazer ofenderá a santidade de Deus? Se a resposta for positiva desista dela.
  2. A motivação em fazer uma tatuagem é despertar interesse sensual ou sexual no sexo oposto?
  3. Sua tatuagem vai produzir algum tipo de escândalo ou controvérsia?
  4. Você está disposto a ter pelo resto da vida uma tatuagem em seu corpo? Lembre-se que tatuagens são “eternas” e a remoção delas além de custar muito caro, deixa marcas no corpo.
  5. Você tem idade suficiente para fazer uma tatuagem? Não? Seus pais aprovam? Se você é menor de idade e seus pais não aprovam esta prática, desista imediatamente do projeto.
  6. Você deseja fazer uma tatuagem porque está na “moda”? E quando a moda passar? Terá valido a pena?
  7. Você deseja fazer uma tatuagem por que deseja “agredir” alguém? Será que o desejo em si não é uma maneira de se rebelar contra alguém?

Termino este artigo com quatro afirmações básicas:

  1. Fazer uma tatuagem não é pecado.
  2. Ninguém possui o direito de se intrometer na vida de quem quer que seja proibindo ou incentivando uma pessoa a fazer ou não uma tatuagem.
  3. Tomo emprestado as palavras de Paulo que, na sua carta aos Coríntios capítulo 6, versículo 12, ensinou que todas as coisas são lícitas, mas nem todas convém. Isto posto, seja criterioso, prudente e sábio na sua decisão, sabendo que um ato equivocado poderá lhe trazer sérios aborrecimentos.
  4. Lembre-se que toda decisão tem consequências. Você está disposto a sofrê-las?

Em Cristo,

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.