Os evangélicos e o culto ao corpo

Cuidar do corpo é mais do que obrigação do cristão. Entretanto, se a motivação não for glorificar ao Senhor com uma saúde perfeita, quem se exercita peca contra o Eterno

Renato Vargens - 20/07/2018 12h03

“Vamos malhar, vamos malhar!”. “Corre, pula, salta, levanta peso, tríceps, bíceps, abdominal, o negócio é ficar sarado, malhadão, gostosão”.

Outro dia, ouvi um rapaz dizendo: “A mulherada pira diante de um tanquinho”. Uma moça, evangélica, afirmou toda orgulhosa: “Gosto de malhar porque eu fico gostosona.”

Caro leitor do Pleno.News, o culto ao corpo é uma triste realidade evangélica. Lamentavelmente, milhares de moças e rapazes lotam as academias com o objetivo único de endeusarem a si mesmos.

Pois é, com a pressão dos ideais de beleza, impostos pela indústria da moda e alimentados pela mídia, a valorização do corpo perfeito tornou-se uma obsessão tupiniquim. Hoje, cada vez mais pessoas buscam formas de transformar o físico, em busca da perfeição, de acordo com os padrões mundanos. Doenças como anorexia, bulimia e vigorexia (transtorno caracterizado pela prática de exercícios físicos em excesso) tomaram um vulto assustador. Muitos colocam suas vidas em risco, consumindo remédios para emagrecer e anabolizantes ou até mesmo fazendo cirurgias desnecessárias.

O que falar então das roupas usadas pelas moças? Confesso que fico assustado com as malhas que algumas evangélicas têm usado nas academias. Calças justíssimas, tops apertadíssimos infelizmente fazem parte da vestimenta de evangélicas. Para piorar a situação, muitas dessas moças saem às ruas, vestidas à caráter, despertando sensualidade em todos aqueles pelos quais elas passam.

Prezado leitor, exercícios físicos são saudáveis e fazem bem. Cuidar do corpo é mais do que obrigação do cristão, entretanto, se a motivação do que se exercita não é glorificar ao Senhor por meio de uma saúde perfeita, peca contra o Eterno, fazendo do corpo, um instrumento de idolatria.

Isto posto, aconselho a todos aqueles que se esmeram em exercícios físicos que avaliem de forma sincera os reais objetivos de tanta malhação.

Naquele que sonda as reais motivações do coração,

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.