Leia também:
X George Soros, Felipe Neto e a Nova Ordem Mundial

O dia em que recebi um pastor cubano na igreja que pastoreio

O povo cubano passa fome e não possui liberdade

Renato Vargens - 14/07/2021 17h31

bandeira de cuba

Em 2011, recebemos em nossa igreja um pastor cubano (vou omitir o seu nome por razões óbvias) que nos contou sobre a dor de viver num país comunista.

Lembro que, logo que o pastor chegou, nós o levamos para almoçar num bom restaurante em Niterói (RJ). Quando ele se dirigiu ao buffet, ficou impressionado com a variedade de comidas expostas ali. Lembro que, na ocasião, ele colocou em seu prato quase dois quilos de comida, comida que não conseguiu comer. Envergonhado por isso, ele se desculpou dizendo que, em seu país, as pessoas passam fome, daí ter exagerado no prato.

Aliás, aquele pastor me contou que uma família cubana tem direito a uma caderneta de abastecimento alimentar. Por meio dela, tem acesso a ovos, óleo, arroz, açúcar, feijão, pão, frango e café; itens que mal duram duas semanas. Em outras palavras, o povo cubano literalmente passa fome. E, por isto, segundo aquele mesmo pastor, os pais de família, todos os dias, ao acordar, só pensam em uma coisa: o que darão de comer aos seus filhos. Para piorar a situação, a população não possui liberdade e vive como escrava do sistema castrista.

Quanto à liberdade religiosa, após a Revolução de 1959, Cuba se tornou oficialmente um estado ateu e com prática religiosa extremamente restrita.

Em relação a isto, lembro que, na ocasião, aquele pastor me falou sobre a dificuldade dos cristãos de terem acesso a Bíblias e a livros em suas igrejas.

Ele ainda revelou que uma pessoa que visita a ilha, se não tiver visto religioso, não pode falar de Cristo para ninguém. Caso o faça, corre o risco de ser presa. Logo, um simples turista está proibido de entrar na casa de um cubano e pregar o evangelho.

Caro leitor, Cuba vive debaixo de uma ditadura maldita, na qual têm liberdade apenas os líderes do único partido. Portanto, quem defende esse sistema ou o faz por ignorância (fruto da lavagem cerebral impetrada pela esquerda), ou por desonestidade intelectual.

Que Deus tenha misericórdia de Cuba e livre essa nação do famigerado comunismo!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 32 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É membro dos conselhos do TGC Brasil e IBDR.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.