O dia da ira do nosso Deus

Haverá um dia (e não está longe) que o Eterno e justo Deus julgará os pecadores

Renato Vargens - 18/09/2019 10h10

Em nossos dias tornou-se comum pastores pregarem sobre o amor de Deus, o que é extremamente louvável. Contudo, muitos destes pastores têm deixado de pregar sobre a ira de Deus. Na verdade, em nome do amor, os líderes em questão, têm se omitido no anúncio dessa verdade. Ora, evangelizar é antes de anunciar a boa noticia da morte e ressurreição de Cristo, a má notícia de que em virtude do pecado, todos estão debaixo da ira do Senhor. Aliás, eu tenho pensado muito no dia do Senhor. Haverá um dia (e não está longe) que o Eterno e justo Deus julgará os pecadores. As Escrituras afirmam que esse será um dia terrível, de juízo e ira.

Veja por exemplo o que as Escrituras têm a dizer sobre esse dia:

O profeta Joel escreveu: “O dia do Senhor é grande e mui terrível, e quem o poderá sofrer?” (Joel 2:11)

Sofonias afirmou a respeito deste dia: “O grande dia do Senhor está perto, sim, está perto, e se apressa muito; amarga é a voz do dia do Senhor; clamará ali o poderoso. Aquele dia será um dia de indignação, dia de tribulação e de angústia, dia de alvoroço e de assolação, dia de trevas e de escuridão, dia de nuvens e de densas trevas, Dia de trombeta e de alarido contra as cidades fortificadas e contra as torres altas. E angustiarei os homens, que andarão como cegos, porque pecaram contra o Senhor; e o seu sangue se derramará como pó, e a sua carne será como esterco. Nem a sua prata nem o seu ouro os poderá livrar no dia da indignação do Senhor, mas pelo fogo do seu zelo toda esta terra será consumida, porque certamente fará de todos os moradores da terra uma destruição total e apressada.” (Sofonias 1:14-18)

Amós também escreveu sobre esse dia dizendo: “Ai daqueles que desejam o dia do SENHOR! Para que quereis vós este dia do SENHOR? Será de trevas e não de luz. É como se um homem fugisse de diante do leão, e se encontrasse com ele o urso; ou como se entrando numa casa, a sua mão encostasse à parede, e fosse mordido por uma cobra. Não será, pois, o dia do SENHOR trevas e não luz, e escuridão, sem que haja resplendor?” (Amós 5:18)

Caro leitor, se você chegou a esse texto e leu o que a Palavra de Deus tem a dizer sobre a ira de Deus, é importante que saiba, que essa ira é justa. A Bíblia é absolutamente clara em afirmar que independente de cor, raça, sexo e nacionalidade, nascemos em um estado de pecaminosidade, culpa, e morte espiritual. O ensino cristão é de que não existe um homem neste planeta que possa considerar-se justo pelos seus próprios méritos. Na verdade, a Bíblia afirma que “todos pecaram, e que todos estão destituídos da graça de Deus”. (Romanos 3:23), diz também “que o salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23), e que quem peca, “transgride a lei” (1 João 3:04), e que o pecado faz separação entre os homens e Deus (Isaías 59:02) trazendo sobre o homem o justo juízo do Senhor.

“Deus é Santo” (Apocalipse 4:8) e abomina o pecado. A ira de Deus é sua santa repulsa pelo pecado. Deus sendo santo não se deleita no mal. Porque Deus é santo ele não pode deixar de punir o pecado. Seu próprio caráter justo e santo move sua ira contra os transgressores da sua lei. A sua ira portanto é resultado da sua justiça.

A. W. Pink certa vez afirmou: “A ira de Deus é a Sua eterna ojeriza por toda injustiça”, e o homem por si só não pode livrar-se da ira de Deus. Todavia, as Escrituras nos ensinam que Cristo ao morrer na cruz do calvário, derramou seu sangue como propiciação pelos nossos pecados. (Romanos 3:25).

Como bem disse Errol Hulse, Nada é tão inescrutável ou tão maravilhosamente eficaz como o sacrifício vicário de Cristo, realizado de uma vez por todas, para propiciar a ira de Deus. Tão terrível foi essa ira que até mesmo Cristo, que conhecia todas as coisas, quando estava para tomar o cálice da ira, disse: “A minha alma está profundamente triste até à morte” (Marcos 14:34).

Cristo aplacou a ira de Deus e por causa do seu sangue derramado, fomos justificados, salvos da ira vindoura e reconciliados com Deus, portanto, ao ler essas palavras, arrependa-se dos seus pecados, entregue a sua vida Cristo e seja definitivamente livre da ira de Deus.

Renato Vargens é pastor, conferencista, tendo já pregado o Evangelho em países da América do Sul, Norte, Caribe, África e Europa. É escritor, com 24 livros publicados em língua portuguesa e 1 em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes, editor do site renatovargens, pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói e membro do conselho da Coalizão pelo Evangelho (TGC).

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo