O cristão, o ódio e as redes sociais

O ódio ao próximo é uma marca inquestionável do estado de depravação humana

Renato Vargens - 27/02/2019 10h09


Ultimamente tenho reparado, tanto nas redes sociais quanto nos mais variados blogs, uma enorme apologia ao ódio. Pois é, confesso que estou impressionado com o número de pessoas que, no intuito de defenderem suas opiniões, vociferam todo tipo de acusações, mentiras, rancores e desrespeito. Ora, não estou com isso defendendo o fato de que não podemos discordar das opiniões alheias. Longe disso! Creio que a verdade precisa ser dita, no entanto, discordo da agressividade, bem como do ódio destilado da boca e do coração daqueles que se dizem cristãos.

O Facebook e o Instagram são exemplos disso. Ao ver, por exemplo, o ódio no coração daqueles que advogam doutrinas espúrias como “não toqueis no ungido do Senhor”, encontro a prova disso. Ademais, parte dos que defendem seus pontos de vista, não sabem divergir. Antes, pelo contrário, se não gostam ou não concordam com o que foi dito e escrito, partem para ataques “Ad hominem“.

Caro leitor, as Escrituras são claras em afirmar que “O ódio excita contendas” (Provérbios 10:12). Nosso Senhor ensinou que os Seus discípulos seriam reconhecidos pelo amor. “Nisso reconhecerão todos que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros” (João 13:35). Provérbios diz que “Melhor é um prato de hortaliças onde há amor do que o boi cevado e, com ele, o ódio” (Provérbios 15:17). Se não bastasse isso, Jesus afirmou que os Seus seguidores deveriam amar até os seus inimigos (Mateus 5:43-48).

Prezado amigo, à luz destes versos bíblicos eu pergunto: De que maneira você tem lidado com as opiniões diferentes das suas? De que forma você tem usado as redes sociais? Tem sido você um propagador do ódio ou, como discípulo de Cristo, tem amado aqueles que lhe afrontam e desrespeitam?

Para que fique claro, vale a pena ressaltar que não estou incentivando a mudez cibernética! Muito pelo contrário, você tem direito de expor suas opiniões e percepções, mesmo porque, pela graça de Deus vivemos num Estado democrático de direito que nos permite isso. O que combato são as agressões verbais, debochadas, escrachadas, humilhantes que denigrem pessoas, demonstrando com isso que, verdadeiramente, não temos entendido os ensinamentos das Escrituras.

Isto posto, encerro este artigo dizendo: que o ódio ao próximo é uma marca inquestionável do estado de depravação humana. Quando odiamos pessoas, demonstramos a nós mesmos o quão pecadores somos e quão distantes estamos da graça de Deus.

Pense nisso!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo