CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Crise é sinônimo de oportunidade

O coronavírus e o autoritarismo privado e estatal

Governadores e prefeitos decidiram confiscar insumos de empresas privadas

Renato Vargens - 08/04/2020 10h08

O brasileiro é sebastianista e ainda que negue parece gostar do autoritarismo. Antes que discorde, ou diga que eu estou sendo exagerando, permita-me explicar porque:

O coronavírus tem gerado pânico em muita gente no Brasil e em virtude disso temos visto manifestações tanto do poder público como da sociedade civil extremamente equivocadas, senão vejamos:

Os governadores de Alagoas e de São Paulo, além de vários prefeitos decidiram em nome da lei confiscar os insumos hospitalares os respiradores de empresas privadas. O PSOL apresentou uma ação no Supremo Tribunal Federal para dar ao SUS o controle das unidades de terapia intensiva (UTIs) da rede privada durante a epidemia do covid-19.

Não tem muito tempo o governador do Rio de Janeiro afirmou que quem estiver andando na rua sem justificativas plausíveis receberá ordem de prisão. Senão bastasse isso, até mesmo os síndicos de prédios residenciais, sem a permissão dos moradores, é claro, decidiram proibir a entrada de pessoas estranhas aos condomínios que dirigem.

O interessante nisso tudo é que todos eles estão afirmando que tomaram as decisões supracitadas pela bem da população. Ora, como assim? Desde quando governadores e prefeitos em nome do achismo e vontade podem fazem o que desejarem suprimindo a constituição federal? Desde quando síndicos podem impor seus desígnios sem a aquiescência e concordância dos condomínios?

Como bem disse no início deste texto, o brasileiro é chegado ao autoritarismo. Interessante que a esquerda que tanto critica as ditaduras é que mais usa do poder autoritário.

Caro leitor, quando o Estado recebe poder demais, ou quando permitimos que governantes extrapolem a lei e façam aquilo que bem desejam, suprimindo os direitos civis, damos largos passos ao entendimento de que o poder público pode fazer o que quiser. Abrimos precedentes para que no futuro outros direitos sejam relativizados e confiscados.

Ademais, não tenho dúvidas que o socialismo introduzido pelo gramscismo, o qual infelizmente logou êxito no Brasil, contribuiu para o entendimento perigoso de que os fins justificam os meios e que em nome do “bem estar” o “papai Estado” pode destruir direitos impondo ao cidadão aquilo que achar correto.

Pois é, os autoritaristas são aqueles que bradam e rezam segundo a sua cartilha que diz “Tudo no estado, nada contra o estado, e nada fora do estado”

O pior é que muita gente concorda com isso.

O temporas O mores!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo