Marido banana: Uma característica dessa geração de homens omissos

Lamentavelmente, tornou-se comum encontrarmos, nos lares cristãos, homens desprovidos de iniciativa e liderança

Renato Vargens - 23/07/2018 10h26

Antes de qualquer coisa torna-se importante afirmar que sou absolutamente contra maridos cujas atitudes se caracterizam pela ditadura e despotismo. Ao contrário destes coronéis do lar, as Escrituras Sagradas não autorizam aos homens a fazerem de suas esposas pessoas desprovidas de vontade, desejo e decisões.

Isto posto, vamos ao texto:

Nosso tempo tem sido marcado por uma significativa omissão masculina. Lamentavelmente, tornou-se comum encontrarmos nos lares cristãos, homens desprovidos de iniciativa e liderança, o que por si só tem trazido inúmeros problemas à família cristã.

Ora, Deus na sua Soberania determinou que a condução dos rumos da família, bem como sua liderança, deveria ser um papel masculino (Efésios 5:2; 1 Coríntios 11:9). Contudo, devido ao feminismo, a inversão de papéis imposta pelo sociedade pós-moderna, além é claro de uma visão distorcida sobre o significado de masculinidade, os homens de nossas igrejas abandonaram suas funções, terceirizando suas responsabilidades como pais e maridos. O que se percebe nitidamente na devocionalidade familiar. Senão vejamos:

  1. A maioria dos maridos entregou a responsabilidade de educar, corrigir e disciplinar os filhos às suas esposas.
  2. A maioria dos maridos deixou na mão de suas cônjuges a responsabilidade de ensinar aos filhos os preceitos do Senhor. Nessa perspectiva, eles não conduzem os cultos domésticos, não tomam a iniciativa de levar a família à igreja, não oram, muito menos leem a Palavra de Deus com os seus filhos pequenos.
  3. A maioria dos maridos permite que suas esposas decidam os rumos da família, tornando-se assim subservientes às decisões de suas mulheres.
  4. A maioria dos maridos omite-se na Igreja, permitindo que suas mulheres liderem “na e a” congregação, tornando-se apoiadores e não condutores da família e comunidade da fé.

Caro leitor do Pleno.News, homens “banana” têm sido um grave problema na Igreja de Cristo. Isso tem contribuído, em boa parte, para uma série de disfunções familiares, corroborando com o adoecimento da sociedade.

Diante do exposto, julgo que mais do que nunca necessitamos regressar às Escrituras, extraindo dela princípios práticos e saudáveis que, se aplicados, no temor do Senhor, poderão proporcionar tanto a homens como a mulheres, a construção de uma família mais feliz.

Pense nisso!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.