Lugar de mulher é onde Deus quiser

Os preceitos e ensinos feministas têm adentrado em muitos lares e igrejas levando-os a perder a noção daquilo que as Escrituras consideram certo e errado

Renato Vargens - 13/08/2018 11h20

Antes de qualquer coisa é importante salientar que não sou contra a valorização da mulher. Na verdade, entendo que à luz das Escrituras, diante de Deus, homens e mulheres são iguais, e que do ponto de vista da Bíblia os homens não são melhores nem tampouco superiores as mulheres. Entendo também, que as mulheres possuem o direito de trabalhar fora, de estudar, bem como se realizar profissionalmente. Ademais, defendo de forma inequívoca de que a mulher não deve ser tratada como um objeto descartável, não sofrendo nenhum tipo de violência sexual ou doméstica, tendo o direito de ser tratada com dignidade, respeito e valor.

Isto posto e esclarecido, deixe-me falar do movimento feminista que de forma incisiva tem dado com ímpeto contra as mulheres que não desejam se curvar a uma agenda absolutamente antagônica aos ensinos da Bíblia.

Aliás, vamos combinar uma coisa? O movimento feminista tem o prazer de se intrometer na vida daquelas que não desejam curvar-se à agenda intolerante do feminismo. Ou melhor, as feministas em nome de uma cruel ditadura não admitem pensamentos contrários àquilo que defendem, contrapondo-se de forma beligerante as mulheres que optaram por uma vida em que o casamento, o cuidar dos filhos e da casa é priorizado.

Para piorar a situação, as feministas de plantão têm se levantado contra tudo e todos, introjetando na mente de homens e mulheres conceitos do tipo que a mulher deve estar onde ela quiser, mesmo que isso arrebente com suas vidas, casas e famílias.

Infelizmente, os preceitos e ensinos feministas têm adentrado em muitos lares e igrejas levando-os a perder a noção daquilo que as Escrituras consideram certo e errado. Até porque, para as feministas a Bíblia é um livro ultrapassado obsoleto e claro, machista.

Em virtude disso o feminismo tem imposto sobre as mulheres a ideia de liberdade sexual, a relativização do aborto, a banalização do sexo, a conquista a qualquer preço do mercado de trabalho, a competição com o sexo oposto e o direito a fazer o que quiser com o corpo, ainda que isso represente a morte de uma criança inocente.

Prezado leitor e leitora do Pleno.News, o feminismo e seus conceitos têm contribuído com a desconstrução das famílias. O que, por razões óbvias, tem contribuído com a instalação do caos na sociedade.

Diante do exposto, entendo que a mulher cristã não deve em hipótese alguma dobrar-se a esse sistema. Antes pelo contrário, deve contrapor-se a ele, dizendo em alto e bom som que lugar de mulher é onde Deus quiser!

Pense nisso!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.