Festa de descasamento – A sociedade chega ao fundo do poço

Já existem empresas especializadas em celebrar o fim do casamento, quando também oferecem mini-caixões para alianças

Renato Vargens - 27/05/2019 19h30

Como diz o ditado popular, “A maré não está para peixe.” Infelizmente, a sociedade da qual fazemos parte caminha a largos passos para o seu pior estado de degradação moral. Se não bastasse a promiscuidade que tem tomado conta de nossos adolescentes e jovens, nossas famílias, no âmbito das relações, têm experimentado, ao longo dos anos, uma grave e séria crise.

Lamentavelmente, a cada novo dia surge um novo comportamento social. Nessa perspectiva, alguns casais, ao concluírem que o casamento acabou, ao invés de chorarem em virtude do fracasso e da dor da separação, optam por reunirem os amigos e familiares celebrando o descasamento. Para estes, a “festa” se dá com direito a música, bebidas, quitutes e presença de muitos daqueles que estiveram na festa de casamento. A novidade, que faz sucesso nos Estados Unidos, onde existe até uma empresa especializada em mini-caixões para alianças, começa a conquistar os (ex) casais brasileiros. E chega com direito a lembrancinhas, docinhos bem-separados (em vez dos bem-casados), noivos personalizados guerreando no topo dos bolos e o que mais a indústria especializada inventar.

Caro leitor, aonde vamos parar? Que mundo é esse? O que aconteceu com os valores que norteavam a sociedade ocidental? Ora, noticias como estas nos mostram que o Brasil e o mundo estão passando por um período tenebroso na História da humanidade, onde nitidamente se percebe total inversão nos valores da sociedade. Como já dizia o profeta Isaías: o bem é considerado mal e o mal tornou-se bem; a luz é vista como escuridão, e a escuridão como luz. Infelizmente, a cada novo dia, o que era certo parece tornar-se errado e o errado parece tornar-se certo. Sem sombra de dúvidas, comportamentos como estes afrontam o Criador.

Ora, é inadmissível considerarmos festas como estas como eventos normais. Tenho plena convicção de que como crentes em Jesus não nos é possível celebrarmos a dor, o fracasso e as marcas dolorosas do divórcio. Antes, pelo contrário, temos por dever protestar veementemente diante deste nocivo comportamento da sociedade brasileira. Além disso, cabe a nós chorarmos diante do Senhor, pedindo perdão pelos pecados de uma nação que teima em desrespeitar ao seu Criador.

Deus tenha misericórdia deste país.

Renato Vargens é pastor, conferencista, tendo já pregado o Evangelho em países da América do Sul, Norte, Caribe, África e Europa. É escritor, com 24 livros publicados em língua portuguesa e 1 em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes, editor do site renatovargens, pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói e membro do conselho da Coalizão pelo Evangelho (TGC).

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo