Leia também:
X O preço que os pais devem pagar para proteger seus filhos

É pecado fazer uso de métodos anticoncepcionais?

As Escrituras não tratam especificamente sobre métodos anticoncepcionais

Renato Vargens - 22/09/2021 11h21

É pecado fazer uso de métodos anticoncepcionais? Foto: Pixabay

A primeira coisa que precisamos entender é que as Escrituras não tratam especificamente sobre métodos anticoncepcionais. O episódio de Onã (Gênesis 38:8-10), por exemplo, não pode ser utilizado como base bíblica para isso.

Em segundo lugar, a Bíblia nos ensina que filhos são “herança do Senhor” e que um casal cristão deve casar pensando em gerar filhos e que não tê-los, além de egoísmo, é desprezar a ordem dada por Deus quanto à multiplicação (Salmos 127:3; Gênesis 1:28).

Em terceiro lugar, ainda que a Palavra de Deus não determine o número de filhos que um casal deve ter, isso não significa dizer que não deva existir planejamento familiar.

Em quarto lugar, quando se planeja ter filhos, usa-se métodos anticoncepcionais, visando ao controle de quantos filhos o casal irá gerar. O problema é que alguns têm afirmado nas redes sociais que evitar filhos é pecado, simplesmente porque isto refletiria uma falta de fé em Deus. Tais pessoas ainda dizem que o casal cristão pode ter o máximo de filhos que puder debaixo da certeza de que Deus providenciará o sustento para todos eles. De fato, é Deus quem supre as nossas necessidades. Mas, em nenhum momento, a Bíblia nos encoraja à irresponsabilidade nesse sentido.

Diante do exposto, entendo que evitar filhos não é pecado, desde que o método contraceptivo seja correto (não abortivo) e a motivação esteja certa.

Por fim, digo que os casais cristãos não pecam por recorrerem a métodos anticoncepcionais. Nessa perspectiva, é mister ao casal pesquisar corretamente qual método deve usar. Digo mais: qualquer anticoncepcional que atue após a fecundação deve ser terminantemente rejeitado, pois biblicamente configura como aborto.

Agora, quanto à motivação para não gerar filhos, entendo que existam razões plausíveis para isto, como, por exemplo, a saúde da mulher, enfermidades latentes ou mesmo a ausência de condições de cuidar e de sustentar filhos.

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 31 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É membro dos conselhos do TGC Brasil e IBDR.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.