É lícito o pastor receber salário?

A orientação do Senhor é clara em afirmar que os que anunciam o Evangelho devem viver dele

Renato Vargens - 08/04/2019 10h11

A Bíblia ensina que quem ministra no altar deve viver do altar Foto: Pixabay

Como já afirmei inúmeras vezes, o ministério pastoral não é nada fácil. Cotidianamente os pastores lidam com situações extremamente complicadas nas quais a dor, angústia e ansiedade se fazem presentes. Sem sombra de dúvidas os ministros do Evangelho, ao conduzirem o rebanho de Cristo, desenvolvem um árduo e penoso trabalho. Se não bastasse isso, eles necessitam esmerar-se no estudo da Bíblia, dedicar-se com afinco à oração e piedade, aconselhar os trôpegos, admoestar os insubmissos, além de treinar e fazer discípulos, ensinando-os a guardar no coração a sã doutrina.

O pior disso tudo é que parte da igreja não reconhece o valor do pastor. Na verdade, alguns irmãos não tratam de seus pastores como deveriam. Vez por outra eu recebo emails ou ouço de algumas pessoas, críticas relacionadas ao salário dos pastores. De fato, existem alguns pastores que vivem nababescamente, usufruindo do dinheiro do povo de Deus. No entanto, a esmagadora maioria dos líderes cristãos luta com dificuldade para sustentar sua família. Sei de incontáveis histórias de homens de Deus que trabalham duro fazendo tendas, visto que as igrejas que pastoreiam não valorizam o seu serviço pastoral, pagando-lhe um salário indigno.

Ora, assim como os membros de sua igreja, o pastor precisa pagar suas dívidas, saldar seus impostos, vestir seus filhos, pagar escola, comprar material escolar e tantas outras coisas mais. No entanto, parece que parte da Igreja de Cristo encontra-se anestesiada quanto às necessidades de seus líderes espirituais, mesmo porque, para alguns, o pastor não deveria receber salário.

Ora, a Bíblia ensina que quem ministra no altar deve viver do altar. “Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar participam do altar? Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o Evangelho, que vivam do Evangelho”.

Caro leitor, a orientação do Senhor é clara em afirmar que os que anunciam o Evangelho devem viver dele. Além disso, as Escrituras afirmam que os “Os anciãos que governam bem sejam tidos por dignos de duplicada honra, especialmente os que labutam na pregação e no ensino. Porque diz a Escritura: Não atarás a boca ao boi quando debulha. E: Digno é o trabalhador do seu salário” (Timóteo 5:17-18).

Diante do exposto, acredito que a Igreja de Cristo deva tratar com amor, respeito e consideração àqueles que, no Senhor, os têm presidido. Lidar com o salário de homens de Deus que dedicam suas vidas à oração, ensino e pastoreio de vidas com desdém e desprezo, é opor-se aos ensinamentos dos apóstolos.

Pense nisso!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo