Leia também:
X O interesse da OAB na Lei Rouanet

Deus e Alá não são a mesma pessoa

O Deus cristão salva os pecadores da morte eterna

Renato Vargens - 09/02/2021 12h08

Existem algumas pessoas que afirmam que Deus e Alá são a mesma pessoa. Discordo deles!

Caro leitor, o fato de Alá e o Deus pregado nas Escrituras não serem o mesmo está bem claro. Ora, os cristãos professam o único Deus (que subsiste em três pessoas distintas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo), enquanto Alá é uma entidade singular e individual. O Deus cultuado por cristãos salva os pecadores da morte eterna. Alá destrói, ao invés de salvar pecadores, como o Deus da Bíblia faz.

Alá tem compaixão somente dos íntegros. Não age por graça. Recompensa apenas as boas obras e, ao contrário do Deus da Bíblia, não tem nenhuma maneira de remir os perdidos.

Além disso, o Deus da Bíblia condena a idolatria. Alá, porém, era o deus principal da Caaba, o templo pagão que Maomé “purificou” ao destruir os mais de 300 ídolos que continha lá.

Certa vez ouvi uma história muito interessante cujas protagonistas eram duas moças, uma cristã e outra mulçumana:

“Houve um dia que, diferente do que comumente faziam, elas começaram a conversar sobre a fé que processavam. A cristã falava de Cristo para a amiga, e a muçulmana contrapunha os argumentos da colega cristã fazendo a apologia a Alá. Só que, num determinado momento enquanto discutiam sobre os seu deus, a que professava a fé muçulmana foi tomada por enorme sentimento de culpa. Isto porque, em meio ao debate, ela ousou dizer que amava o seu deus. Depois de havê-lo feito, ela se sentiu imensamente culpada, isto porque os muçulmanos desenvolvem a crença de que Alá é o Todo-poderoso que está sentado em seu trono e que não sente absolutamente nada pelo ser humano, tampouco se importa com ele; logo, ninguém pode dirigir-se a ele como a um amigo e, muito menos, desenvolver algum tipo de relacionamento pessoal com ele. A simples ousadia de alguém pensar nisso ou tratá-lo como uma pessoa, é considerada blasfêmia e infidelidade ao islamismo. Segundo o Islã aquele que age desta maneira, merece ser severamente punido”.

No Alcorão, existe uma lista de nomes que apontam para a personalidade de Alá. Na verdade, os muçulmanos possuem 99 definições de quem é o seu deus. Contudo, existem duas definições que nós, cristãos, usamos para Deus e que os mulçumanos jamais poderão usufruir para Alá: Deus é Amor e Deus é Pai.

Alguns acreditam que a maneira mais eficaz de se ganhar um muçulmano para Cristo é lhe dizer que Deus revelou a Si mesmo na Bíblia como Agente de amor e afirma sua paternidade. Na verdade, a mensagem do cristianismo se contrapõem em muito àquilo que outras religiões pregam e ensinam. O Deus da Bíblia está pronto a ter um relacionamento pessoal com você, ouvindo-o, falando com você e amando você.

Oh, quão maravilhoso é conhecer o Senhor e desfrutar de seu amor e cuidado! Como é bom saber que em Cristo, por Cristo e por intermédio de Cristo, tornamo-nos filhos e amigos de Deus!

Pense nisso!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 26 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É membro dos conselhos do TGC Brasil e IBDR.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.

Leia também1 10 características de um falso profeta
2 Por acaso, é pecado um cristão fazer uma tatuagem?
3 As teologias da prosperidade e confissão positiva ofendem a Deus
4 Homens que deixaram de ser homens, uma tragédia para a família
5 7 constatações de que a Igreja se divorciou da Bíblia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.