Depressão e síndrome do pânico não são possessões demoníacas

Não podemos dar ouvidos àqueles que em nome de uma espiritualidade barata, fabricam respostas inconsequentes demonizando tudo, bem como todas as coisas

Renato Vargens - 05/07/2018 17h06

Na minha experiência pastoral tenho ouvido coisas que me fazem ruborizar de vergonha. A capacidade de alguns demonizarem determinadas situações é absurdamente assustadora. Há pouco fiquei sabendo de pastores que afirmam com todas as letras que a depressão e a síndrome do pânico são de origem diabólica e todos aqueles que sofrem dessas enfermidades estão debaixo de uma ação demoníaca. Para piorar a situação, há pastores que ensinam que a pessoa só pode ser curada se o demônio que causou a doença for repreendido e expulso. Cito as duas doenças, porque é comum uma vir atrelada à outra.

Nesses últimos dias, o pastor Marco Feliciano tem figurado no trending topics do Twitter por ter criado uma enquete questionando e pedindo a opinião dos seguidores se acreditam que a depressão é doença ou possessão demoníaca. Muitos se manifestaram criticando a enquete por acreditarem ser doenças. Outros afirmam seguramente que são casos de demônios.

Pois é, outro dia, soube que uma irmã em Cristo fora aconselhada a ir a um culto neopentecostal a fim de que os “demônios da síndrome do pânico” fossem expulsos. Segundo os “conselheiros” a depressão por ela vivida era obra do cão e somente numa Igreja forte ela ficaria liberta.

Caro leitor, faltam-me palavras diante das afirmações destes apedeutas da fé. Sinceramente, esses caras demonstram ignorância, despreparo bíblico e teológico para lidar com determinadas situações. Ora, a síndrome do pânico, na linguagem psiquiátrica chamada de transtorno do pânico, é uma enfermidade que se caracteriza por crises absolutamente inesperadas de medo e desespero. A pessoa tem a impressão de que vai morrer naquele momento de um ataque cardíaco, porque o coração dispara, e ela sente falta de ar e tem sudorese abundante.

Quem padece de síndrome do pânico sofre durante as crises e ainda mais nos intervalos entre uma e outra, pois não faz a menor ideia de quando elas ocorrerão novamente, se dali a cinco minutos, cinco dias ou cinco meses. Isso traz tamanha insegurança e a qualidade de vida do paciente fica seriamente comprometida. Nessa perspectiva, as vítimas dessa doença vivem debaixo de sentimentos horrorosos onde o pavor arrebenta com suas emoções, em virtude desse trastorno.

Prezado irmão, por favor entenda que a síndrome do pânico e a depressão não são originadas por demônios. Na verdade, essas patologias podem ser curada através de aconselhamento bíblico, terapêutico, além, é claro, de medicamentos receitados exclusivamente por um médico. Vale a pena ressaltar que os que sofrem com essas doenças não são curados mediante atos exorcistas, místicos ou espirituais onde o capeta é amarrado. Portanto, não dê ouvidos àqueles que em nome de uma espiritualidade barata, fabricam respostas inconsequentes demonizando tudo, bem como todas as coisas.

Pense nisso!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.