Leia também:
X Existe um grande tesouro dentro de você

Como saber se o seu pastor se transformou em profissional da fé

Devido a fatores diversos, alguns abandonam valores indispensáveis

Renato Vargens - 07/09/2020 12h11

Lamentavelmente muitos pastores começam o ministério bem, comprometidos com Deus e seu reino.Todavia, devido a fatores diversos, transformaram-se em profissionais da fé, abandonando a margem da história valores indispensáveis à um ministério saudável, senão vejamos:

1. Ele não ora mais em particular, somente o faz em público e na igreja.

2. Ele não lê mais a Bíblia em particular, somente o faz em público e na igreja.

3. Ele se torna duro, legalista e incompreensível diante das lutas e sofrimento daquele que sofre.

4. Ele não chora mais na presença daquele que o arregimentou.

5. Ele não se esmera mais na elaboração de seus sermões nem tampouco se preocupa se aquilo que está pregando está de acordo com a vontade de Deus para a sua igreja.

6. Ele não se relaciona mais com amigos, antes pelo contrário, seus relacionamentos eclesiásticos são profissionais e hierárquicos.

7. Ele não enxerga o ministério como um serviço cristão, mas sim como uma profissão que possui direitos e deveres.

8. Ao subir o púlpito ele encarna o “estereótipo” do santarrão, conjugando o evangeliquês com propriedade, comportando-se diferentemente em casa, na rua e vizinhança.

9. Ele não vive o que prega e nem prega o que vive.

10. Ele perdeu a capacidade de se compadecer daqueles que devido ao pecado estão condenados ao inferno.

11. Ele prefere coisas à pessoas.

Pense nisso!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.