As mulheres, o envelhecimento e a ditadura da beleza

Toda mulher deve cuidar de si mesma, valorizando seu corpo, mente e emoções

Renato Vargens - 10/09/2018 10h33

Antes de qualquer coisa é preciso afirmar que não estou fazendo apologia ao desleixo. Muito pelo contrário, penso que toda mulher deva cuidar de si mesma, valorizando seu corpo, mente e emoções. Contudo, apesar dessa importante premissa, tenho um visto um número significativo de mulheres exagerando nessa perspectiva, tentando de todas as formas possíveis, manterem-se jovens, rejeitando com todas as suas forças, resistindo à ideia de envelhecimento.

Ora, quem disse que envelhecer é ruim? Por acaso você já se deu conta de que a beleza de uma mulher tem fases? Já percebeu que o amadurecimento físico e emocional é extremamente salutar?

As Escrituras nos trazem inúmeros textos que tratam da dignidade do envelhecimento, dentre estes as afirmações de que a beleza dos jovens está na sua força; a glória dos idosos, nos seus cabelos brancos e que o cabelo grisalho é uma coroa de esplendor (Provérbios 16:31; 20:19).

Todos nós sabemos que o mundo possui um padrão de beleza e que exige das pessoas medidas e aparência perfeitas. Todavia, as regras de beleza e padrão deste mundo sobre o que é belo, saudável, e até mesmo moda, é completamente antagônico ao padrão de beleza revelado pelas Escrituras.

Numa sociedade em que a juventude é cultuada, o padrão de beleza deste mundo caído são corpos perfeitos, moldados pela artificialidade, repletos de botox, plásticas e roupas joviais. Nessa perspectiva, as mulheres querendo ser aceitas e amadas, têm rejeitado o amadurecimento, querendo de todas as formas possíveis parecerem meninas ad eternum.

Para nossa tristeza, a relativização da beleza, das medidas corporais, da cor do cabelo e da ausência de rugas, têm norteado o padrão de beleza do mundo, cuja filosofia reinante tem sido o hedonismo, o que por conseguinte tem levado inúmeras mulheres a um estado de escravidão moral e social.

Lamentavelmente, ao contrário do que gostaríamos, vivemos numa sociedade que desvaloriza a maturidade, o envelhecimento, os cabelos brancos e as marcas do tempo, dizendo a todos quanto puder que envelhecer é ruim e desprezível.

Diante do exposto elenco pelo menos três conselhos às mulheres cristãs:

  1. Cuidem de si mesmas. Isso é importante; tratem de seus corpos, mas não permitam ser vencidas pela ditadura da beleza e da juventude.
  2. Aprendam a envelhecer. Sejam mulheres de fases, alguém que soube passar pela adolescência, juventude, e agora com equilíbrio sabe lidar com a maturidade.
  3. Não queiram ser o que vocês não são. Sejam vocês mesmas e vivam os dias do amadurecimento para a glória de Deus.

Pense nisso!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo