6 razões porque alguns pastores não enxergam problemas nas festas juninas evangélicas

É preciso discernir a tênue linha da contextualização, para não embarcar de cabeça no barco do sincretismo

Renato Vargens - 30/05/2018 10h31

Escrevi um texto cujo título é: 4 razões porque as festas juninas são sincréticas e afrontam a Deus. Hoje, escrevo sobre razões porque alguns pastores não enxergam problemas em realizar festas juninas evangélicas.

Senão, vejamos:

1. Alguns pastores não enxergam problemas em realizar festas juninas evangélicas, porque tornaram-se adeptos do pragmatismo. Ou seja, não importa que aquilo que estejam fazendo esteja certo e sim que dê certo.

2. Alguns pastores não enxergam problemas em realizar festas juninas evangélicas pelo fato de terem relativizado as Escrituras. E substituíram as verdades por elas reveladas por achismos, opiniões e pressupostos absolutamente antagônicos aos ensinos de Cristo e apóstolos.

3. Alguns pastores não enxergam problemas em realizar festas juninas evangélicas por não acreditarem que a Bíblia deve ser sua única e exclusiva regra de fé e prática.

4. Alguns pastores não enxergam problemas em realizar festas juninas evangélicas, porque são despreparados bíblica e teologicamente, não possuindo conhecimento daquilo que a santa Palavra de Deus ensina sobre mundanismo e secularismo.

5. Alguns pastores não enxergam problemas em realizar festas juninas evangélicas, porque tem feito do Evangelho de Cristo um meio de entretenimento e satisfação pessoal.

6. Alguns pastores não enxergam problemas em realizar festas juninas evangélicas, porque não conseguem discernir a linha limite da contextualização. E assim, embarcam de cabeça no barco do sincretismo.

Isto posto, vale a pena lembrar o ensino de Paulo que diz:

Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam (1 Coríntios 10:22,23).
Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.