13 “previsões” para o ano de 2019

O desejo de obter conhecimento proibido tem suas raízes no primeiro pecado do homem

Renato Vargens - 02/01/2019 10h02


Basta chegar o início de um novo ano que os programas de rádio e televisão ficam abarrotados de videntes, cartomantes e adivinhadores que, com a mesma ladainha de sempre, fazem previsões quanto ao ano que acabou de começar.

Pois é… confesso que nunca vi nenhum destes adivinhos preverem especificamente alguma coisa relacionada a alguém famoso, dando nomes aos bois. Na verdade, o que estes enroladores fazem é profetizar coisas óbvias como: “um cantor famoso morrerá”, “o Brasil vai ter um ano difícil, mas vai melhorar” e blá, blá, blá.

Nesta perspectiva, os adivinhadores profissionais chovem no molhado, fazendo profecias óbvias do tipo:

1. Novos escândalos de corrupção serão descobertos pela Lava-jato
2. Morrerá um ator famoso
3. Acontecerá uma desgraça com um artista brasileiro
4. Um grande clube brasileiro será campeão do Brasil
5. Israel e Palestina continuarão brigando entre si
6. Haverá uma catástrofe natural em virtude da chuva numa cidade do Brasil
7. A violência continuará amedrontando os brasileiros
8. Neste verão aparecerá no cenário da música mais uma revelação musical
9. Muita gente morrerá de fome na África
10. O Brasil não terá um campeão de Fórmula 1
12. O Vasco será vice campeão de algum campeonato
13. O Palmeiras não será campeão mundial

Caro leitor, brincadeiras à parte, sou obrigado a confessar que me assusta o fato de que, mesmo percebendo o embuste protagonizado pelos adivinhos profissionais, muita gente prefere o engano dos videntes à verdade. Além disso, vale a pena ressaltar que a Bíblia proíbe a tentativa de adivinhação, simplesmente porque ela envolve o desejo ardente de obter conhecimento secreto daquilo Deus preferiu não revelar. “As coisas encobertas pertencem ao SENHOR nosso Deus, porém as reveladas pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei” (Dt 29.29).

Ouso afirmar que esse desejo de obter conhecimento proibido tem suas raízes no primeiro pecado do homem. “Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrerás. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes, se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabedores do bem e o mal” (Gn 3.4-5). Satanás tentou Eva com um desejo de conhecer aquilo que Deus preferiu não revelar e, assim, transgrediu a fronteira entre o Criador e a criatura. Adão e Eva sucumbiram a essa tentação, trazendo sobre si, bem como sobre toda a criação, consequências terríveis.

Prezado amigo, as Escrituras consideram a adivinhação um pecado grave. “Porque a rebelião é como o pecado de adivinhação, e a obstinação é como a iniquidade de idolatria” (1 Samuel 15.23). E os que cometem tais pecados, são indesculpáveis diante de Deus, a não ser que sejam encontrados por Cristo e libertos mediante Seu sangue vertido a favor dos eleitos, na cruz do Calvário.

Pense nisso!

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo