CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Eis a sua mãe

10 lições que a pandemia de coronavírus tem me ensinado

As adversidades da vida possuem a capacidade de nos ensinar muita coisa

Renato Vargens - 11/05/2020 10h48

Já estamos há quase 50 dias confinados em nossas casas. Além do medo e do desgaste emocional proveniente da pandemia de coronavírus, a população brasileira tem demonstrado preocupação com o futuro. O desaquecimento da economia, o fechamento do comércio e o desemprego têm feito com que a maioria da população demonstre um nível de estresse acima do comum.

Pois é, alguém já disse que o sofrimento, bem como as adversidades da vida, possuem a capacidade de nos ensinar muita coisa. Digo mais, o fato de não termos controle da nossa vida e do futuro, nos leva ao entendimento que os problemas vivenciados por cada um de nós são “pedagogos” dados por Deus. Eles nos auxiliam a entender um pouco mais da nossa natureza pecaminosa, como também do caráter e a pessoa de Deus.

Isto posto, uso deste texto para elencar 10 lições que a pandemia de coronavírus tem particularmente me trazido:

1. Nada foge ao controle soberano de Deus. Ainda que alguns acreditem ou pensem o Senhor foi pego de surpresa, me apego às Escrituras que ensinam que nada foge ao controle e domínio do Eterno.

2. Meu contentamento deve estar em Cristo e não nas coisas deste mundo. O confinamento tem servido para me mostrar que a minha alegria deve ser Cristo e não as coisas prazerosas deste mundo.

3. Cristo deve ser suficiente. Nada além de Cristo deveria ser mais importante para um cristão. Nossa satisfação deve estar em Jesus e em seu evangelho.

Temos que confiar no Senhor Foto: Pixabay

4. Devo tomar cuidado com o pecado da murmuração. O descontentamento com o momento que vivemos tem nos levado a murmuração. Ora, murmurar é pecar contra Deus. É dizer para ele que não confiamos em seu cuidado e providência, isso sem falar que é um péssimo testemunho cristão.

5. Não devo tentar a Deus. O fato de eu confiar no cuidado do Senhor, não me concede o direito de tenta-lo não tomando as providências necessárias quanto a segurança e cuidado com a minha saúde.

6. Devo confiar na providência divina. Em tempos de insegurança e medo é comum achar que alguma coisa poderá faltar. Contudo as Escrituras nos ensinam que ninguém pode acrescentar um côvado sequer a sua existência e que Ele supre as nossas vidas com seu cuidado e providência.

7. Devo valorizar o culto público e o ajuntamento solene. A ausência de cultos, de reuniões e atividades da igreja aponta para a importância e relevância da santa assembleia, onde os remidos por Deus se reúnem em gratidão e louvor a Deus pelo perdão de pecados.

8. Devo orar mais confiando no Senhor. A impotência e incapacidade de resolver problemas também têm me ensinado que a oração é fundamental a vida cristã, e que como seguidor de Cristo é mister que ore sempre, lançando diante dele minhas preocupações, medos e ansiedades.

9. Devo valorizar as coisas pequenas da vida e desenvolver gratidão a Deus por sua bondade, graça e misericórdia. Apesar de pecadores, maus e capazes de entristecer a Deus com nossas atitudes, Deus tem sido bom, não nos tratando consoante aos nossas transgressões. Aantes pelo contrário, a cada manhã o Eterno Deus tem renovado as suas misericórdias sobre nossas vidas.

10. Devo viver e fazer tudo para a glória do seu nome.

Renato Vargens é pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança em Niterói, no Rio de Janeiro e conferencista. Pregou o evangelho em países da América do Sul, do Norte, Caribe, África e Europa. Tem 24 livros publicados em língua portuguesa e um em língua espanhola. É também colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes.
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo