CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X 4 razões porque festas juninas evangélicas são sincréticas e afrontam a Deus

Somos todos caminhoneiros

A roda parou de girar e o Brasil parou

Pr. Lucas - 28/05/2018 10h38

Meu querido leitor do Pleno.News, como vai? Você tem combustível por aí?

Pois é… nosso país está passando por um momento delicado, e infelizmente os governantes, não governam pelo povo mas sobre o povo. Somos o país com a maior quantidade de impostos do mundo. E aí me vem à pergunta: Por que pagamos impostos?

  • Pagamos nossos impostos para que o governo nos forneça melhores condições de vida;
  • Pagamos nossos impostos para que o governo forneça escolas públicas de qualidade; (mas boa parte dos brasileiros precisa pagar escola particular para garantir um melhor ensino a seus filhos)
  • Pagamos nossos impostos para que o governo forneça um serviço de saúde pública digno; (mas muitos de nós pagamos convênios médicos particulares, para garantir um melhor atendimento)
  • Pagamos o IPVA, que deveria ser aplicado para termos boas estradas; (mais ainda assim, as estradas foram vendidas a concessionárias e pagamos pedágios).

Em outras palavras: pagamos duas vezes “a conta” se quisermos ter algum benefício. Se formos pensar bem: “somos todos caminhoneiros”.

Nesta semana que passou, descobrimos que o Brasil está sobre rodas. Quase tudo que é de necessidade básica chega até nós por meio de pais de família que ficam atrás de um volante dia e noite, pagando impostos altíssimos, recebendo um salário que varia entre R$ 2 mil a no máximo R$ 6 mil (quando chega a isso). E é importante ressaltar as condições precárias de trabalho e os riscos que os caminhoneiros sofrem.

Agora, sobre a greve, é claro que nos afetou! Sim! Falta combustível, produtos, transporte escolar… Mas pensando bem, já nos falta tanto e há tanto tempo! Tem nos faltado: segurança, hospitais, escolas, merenda escolar, educação, respeito, cultura, honestidade, amor, infraestrutura… entre tantas outras coisas!

Ainda bem que a classe dos caminhoneiros que representa a realidade do povo, teve a coragem de enfrentar tudo e todos para nos mostrar o quanto o governo é frágil e como nós, o povo, somos passivos. Aceitamos tudo que o governo nos impõe. Eles roubam da Petrobras e nós pagamos a conta lá no posto. Eles roubam da saúde e somos nós que ficamos sem remédios, equipamentos e profissionais.

Nesse exato momento, enquanto escrevo este texto, eu estou sendo prejudicado pela greve. Mas esse prejuízo, não chega nem perto dos prejuízos que já sofri em função dos governos (e desgovernos), ao longo da minha vida.

E, pode ser, que a paralisação dos caminhoneiros nos traga um pouco de alívio e benefício no final. Então, Brasil, “somos todos caminhoneiros”.

Meu pedido hoje é para que oremos para o Senhor levantar homens de justiça que tragam paz para esta nação. Pois, “quando os justos florescem, o povo se alegra; quando os ímpios governam, o povo geme” (Provérbios 29:2).

Força e um abraço!

Pastor Lucas nasceu em Santa Vitória, em Minas Gerais. Sua carreira de compositor começou em 2011. Há quatro anos como cantor, lançou três CDs. Congrega na Comunidade Evangélica Vida no Altar, em São Paulo. É casado com Thaisa Rahmé e pai de Gabriel e Samuel.