Leia também:
X Deus ainda opera milagres?

Vivemos um tempo de imposição de ideias

Sem um julgamento, não haverá debate

Pr. Lucas - 27/07/2020 16h23

Olá, amigo leitor, hoje eu gostaria de aprofundar uma ideia sobre julgamento.

Às vezes parece que algumas palavras têm um único significado, o que nos rouba muito com relação a entender a veracidade dela. Por exemplo, usamos a palavra amor de muitas maneiras e para objetivos distintos, porem a palavra amor é discernida a partir das circunstâncias. Deixe-me exemplificar: Eu digo eu te amo ao meu cachorro; em uma mesa de alimentos eu digo amar alguma comida; há quem diga amar lugares, e também posso dizer que amo a minha esposa olhando profundamente nos olhos dela.

Ora, é lógico que minha esposa saberá discernir que embora eu tenha usado a mesma palavra para animal, comida e lugares, algo soou diferente quando disse essa palavra olhando em seus olhos. Com isso, quero dizer que muitas pessoas perdem o entendimento correto por serem ignorantes ao significado e a aplicação das palavras.

Hoje, é muito comum usarmos os termos não julgue ou julgue menos, ame mais. Eu entendo o que essas frases significam, porém, vejo que nos dias atuais, julgar só tem o sentido de condenar.

Deixe-me explicar mais sobre essa palavra que tem dois significados.
1. Transitivo direto e intransitivo. Tomar decisão, deliberar na qualidade de juiz ou árbitro.
2. Regência múltipla. Formar conceito, emitir parecer, opinião sobre (alguém ou algo).

Observe que a mesma palavra tem duas sentenças. Exemplo:
Imagine que em seu bairro é descoberto um criminoso, obviamente, você não tem competência para julgá-lo (transitivo direto e intransitivo), mas ao saber do que ele fez, obviamente você pode julgar (regência múltipla) tanto a pessoa quanto a ação.

Deixe eu traduzir de um modo que não deixe dúvidas, há um tipo de julgamento saudável, um tipo de julgamento que fazemos o tempo todo. É como uma espécie de avaliação para emitir uma opinião sobre determinado tópico ou pessoa. Eu entro em uma padaria e posso julgar aquele lugar como um ambiente sujo e inadequado, mas somente um fiscal sanitário poderá julgar de modo legal, aplicando-lhe uma multa.

Não importa o quão complexo seja o tema do debate público, ele pode ser julgado. Sem um julgamento, não haverá debate, haverá imposição de ideias.

Então, vamos parar com esse papo de não me julgue! É claro que devo julgá-lo. Neste exato momento eu como um escritor estou passando pelos seus crivos e você está fazendo um juízo de tudo o que estou debatendo, para no fim desse texto, emitir sua opinião, ou julgamento.

“Não julgueis, para que não sejais julgados” Mateus 7:1

Nesse versículo, Jesus está tratando o comportamento de pessoas que querem condenar sem corrigir a si mesmas… Esse tipo de juízo não é saudável, esse tipo de juízo é arbitrário e imperativo, onde todos estão errados menos eu. Nesse caso, temos um problema mais profundo, aqui temos um hipócrita, ou seja, temos alguém que não tem bom senso e nem consciência para estabelecer qualquer tipo de julgamento, nem o da avaliação, nem o da condenação.

Vamos, com base bíblica, entender três posições de juízo:
1. Só posso julgar no sentindo condenativo se eu tiver poderes legais para isso.
“Quando eu ocupar o lugar determinado, julgarei retamente” Salmos 75:2

2. Julgamento não é somente definido por tribunal e sentença negativa, há julgamentos que são para favorecer e não para condenar.
“Julgará os aflitos do povo, salvará os filhos do necessitado, e quebrantará o opressor” Salmos 72:4

3. Tudo preciso de um julgamento, de uma avaliação para podermos distinguir o certo do errado, o bom do ruim.
“Julgai tudo. Retende o bem” 1 Tessalonicenses 5:21

Não devemos condenar ninguém, mas devemos julgar a todos. Até a próxima semana!

Pr. Lucas é pastor de jovens na Comunidade Evangélica Vida no Altar, em Artur Nogueira, em São Paulo. Sua carreira de compositor começou em 2011, entre os sucessos estão Tu Podes, Casa do Pai, Cicatrizes e Pintor do Mundo. É casado com Thaisa Rahmé e pai de Gabriel e Samuel.
* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.