CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Você acredita nas pesquisas eleitorais?

#EleSim ou #EleNão?

Estamos às vésperas de uma mudança decisiva em nossa Nação. O que você vai escolher?

Pr. Lucas - 01/10/2018 13h27

Olá, meus amigos do Pleno.News, estamos às vésperas do dia das eleições. Mas não é apenas isso, estamos às vésperas de uma mudança decisiva em nossa Nação. Já se deu conta disso? O que é interessante é que após o dia 7 de outubro, as transformações que se seguirão serão radicais; isso independentemente do que for definido nas urnas.

Deixe-me primeiro apresentar a você, os possíveis presidentes do país segundo a ótica da mídia.

O ringue dessa luta é o seguinte:

  • No corner azul, temos um racista, fascista, machista e homofóbico. Seu nome é Jair Bolsonaro.
  • No corner vermelho, temos um petista, garoto bonzinho. Seu nome é Fernando Haddad.

Ora, se o candidato Jair é tudo isso que estão dizendo, devemos entender o seguinte: racismo e homofobia são crimes. Então, ele deveria estar preso. Sendo assim, já que não está detido, ou a Justiça está sendo omissa ou ele deve ter pago propina a algum juiz por aí. Isso, muito embora Jair não tenha nenhuma mancha política, nenhuma denúncia de corrupção.

Aliás, teve um juiz que mencionou o nome dele em um processo. O juiz afirmou que Jair é um dos únicos candidatos que não recebeu propina do esquema de corrupção do governo anterior, que é do partido do candidato do corner vermelho.

Embora aleguem que ele seja machista, nem sua esposa nem a ex-esposa se pronunciaram fazendo alguma reclamação ou denúncia.

Agora, já o candidato do corner vermelho tem seu líder partidário preso por corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Seu partido entrou para a história como mentores do maior esquema de corrupção do mundo. O candidato do corner vermelho foi considerado um dos piores prefeitos que o estado de São Paulo já teve e também foi colocado como um dos piores das capitais brasileiras. Para completar, Haddad reponde a mais de oito processos, na Justiça. Em entrevista à Rede Globo o candidato fez a seguinte afirmação: “Quem na vida pública não responde a processos ?”.

Então, por favor, me ajude a entender: A qual candidato devo dar mais credibilidade? Ao candidato que é acusado de crimes sem ter uma mancha na sua história? Ou ao candidato que é apresentado como bom moço, mas está efetivamente manchado de muitas formas diferentes?

Agora, venha comigo, pois quero fazer a minha leitura sobre as eleições que se aproximam.

Como já disse, após o dia 7 de outubro passaremos, como país, por muitas transformações. Uma ideologia radical, de duas ideologias, será implantada no meu Brasil. Sendo assim, vamos caminhar para uma falência democrática, ou caminharemos para uma revolução democrática. O número que vamos apertar, na urna, no dia 7, definirá em que extremo viveremos.

Veja:

  • 13 propõe censura de imprensa;
  • 17 propõe liberdade de imprensa.
  • 13 se inspira em Cuba;
  • 17 se inspira em Israel e EUA.
  • 13 defende o homossexualismo;
  • 17 defende a família.
  • 13 defende o sistema de cota para negros;
  • 17 defende cotas para pobres, pois negros não são inferiores a brancos.
  • 13 prega a educação com progressão continuada e notas por frequência e não por mérito no aprendizado;
  • 17 valoriza a educação militar, priorizando a educação básica.
  • 13 tem seus valores baseados na ideologia de gênero e na erotização infantil, ainda na educação básica;
  • 17 busca a valorização dos professores, a disciplina e a honra na educação básica.
  • 13 defende a ideologia de gênero em detrimento da família;
  • 17 defende a família e respeita a opção sexual.
  • 13 é a favor do desarmamento do cidadão, isso em um esquema perfeito para estabelecer o comunismo;
  • 17 é a favor do direito de porte de arma para o cidadão.
  • 13 vai manter a política de segurança;
  • 17 vai devolver ao policial o direito de exercer sua autoridade para manter a ordem e a justiça.
  • 13 é candidato por indicação política do presidiário Luiz Inácio Lula da Silva;
  • 17 é ficha limpa.
  • 13 serviu à milícia comunista;
  • 17 serviu ao Exército.
  • 13 tem discurso do amor, mas como prefeito em São Paulo agrediu um cidadão;
  • 17 tem um discurso considerado como discurso de ódio, mas nunca agrediu ninguém.
  • 13 não reconhece os erros do passado;
  • 17 reconhece os excessos cometidos no passado.
  • 13 foi ao Oriente Médio fazer aliança com a Palestina e com os muçulmanos;
  • 17 foi ao Oriente Médio fazer aliança com os judeus em Israel e pediu perdão a Israel em nome do Brasil.
  • 13 é comparado a Hugo Chávez. Este político simplesmente destruiu a Venezuela;
  • 17 é comprado a Trump e os Estados Unidos continuam no topo do mundo e o dólar é super valorizado.
  • 13 não menciona nenhum vínculo religioso somente ideológico;
  • 17 acredita em Deus e o Brasil é um país cristão.
  • 13 vai manter a política carcerária como hotel de bandidos;
  • 17 quer fazer do sistema carcerário o inferno dos bandidos.
  • 13 quer manter as leis e a punição por crimes como estão;
  • 17 quer reduzir a menor idade penal já que o tráfico está recrutando e treinando menores.
  • 13 quer manter o bandido com poder de ação e redução penal por comportamento;
  • 17 quer devolver a polícia o poder de ação e fazer com que o preso cumpra sua sentença penal sem redução.
  • 13 prende polícia quando mata e solta bandido baseando-se em “direitos humanos”;
  • 17 quer manter o policial livre e ativo para, se necessário, ser letal contra o bandido.
  • 13 defende lei que dá milhões para “arte e cultura” que insinua orgia, depravação, pedofilia, erotismo, nudez e zoofilia;
  • 17 quer rever essa lei para investir esses milhões em educação básica e cultura que incentiva, honra e respeita às autoridades, o caráter e preza a valorização da família.

Eu poderia continuar essa lista por mais cem linhas, mas acho que até aqui já dá pra mensurarmos algumas coisas.

Jair Bolsonaro é radical? Sim, acredito que posso classificá-lo assim. Porém, acredito que seu radicalismo irá se refletir de maneira positiva, resultando em uma restauração da lei e da ordem, em uma vida mais tranquila e segura, em uma intimidação ao crime organizado, em uma justiça ativa, em uma sociedade tradicional, mas que respeita as escolhas diferentes. Também em uma política participativa, em uma transparência de governo e acima de tudo em uma restauração de ordem moral.

Já o presidenciável Haddad também é um radical. Porém, não consigo enxergar o que ele poderá fazer de positivo por nosso país. Até porque, durante 13 anos, o partido dele veio destruindo lentamente os nossos valores e implantando sua ideologia política, a ponto de acharmos normal um bandido ser vice-líder nas pesquisas eleitorais. Digo isso, por que a maior parte dos heróis do partido de Haddad estão na cadeia, condenados pelo maior esquema de corrupção da história mundial.

Assim, o que vejo é: ou metade da população pertence ao crime organizado e a outra metade são os cidadãos de bem, ou a maior parte do país continua sendo enganada por esses bandidos com discursos floreados.

Eu não sei você, mas eu prefiro ser governado nos próximos quatro anos pelo homofóbico, racista, fascista, machista do que ser governado por petistas.

Agora… é só esperar dia 7 de outubro para ver que radicalismo vamos viver. Ou vamos viver uma mudança radical ou um radicalismo plantado aos poucos.

E você? O que escolhe?

Pastor Lucas nasceu em Santa Vitória, em Minas Gerais. Sua carreira de compositor começou em 2011. Há quatro anos como cantor, lançou três CDs. Congrega na Comunidade Evangélica Vida no Altar, em São Paulo. É casado com Thaisa Rahmé e pai de Gabriel e Samuel.
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo