CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X O “solta-prende Lula”. Uma vergonha tupiniquim!

A piada sem graça de Paulo Gustavo

Da mesma maneira que Paulo Gustavo deseja ser respeitado por sua arte, nós queremos ser respeitados por nossa crença

Pr. Lucas - 09/07/2018 15h45

Olá, meu caro amigo leitor do Pleno.News, estou muito feliz em escrever e compartilhar com você minha opinião mais uma vez.

Hoje o assunto é sério e bem delicado. Por estes dias, o ator e comediante talentosíssimo Paulo Gustavo fez uma piada de mal gosto com o casamento homossexual em uma igreja. Entre suas declarações mais fortes ele diz: “A Bíblia precisa ser atualizada”; “Se Jesus estivesse vivo ele iria ao show do Pabllo Vittar”; e “Deus criou as pessoas LBGTs”. (Você pode conferir mais sobre o assunto aqui no portal mesmo).

Paulo Gustavo Foto: Reprodução/ Instagram

Veja, as ofensas à fé cristã ultrapassaram aos limites da brincadeira. Eu entendo que a piada é uma forma de satirizar os fatos da vida cotidiana; mas, de maneira alguma, uma piada pode ofender a crença ou os direitos constitucionais de um cidadão.

De novo temos que discutir o óbvio! E o assunto não é sobre orientação sexual, sobre grupos ideológicos e nem sobre religião, mas é sobre RESPEITO.

É preciso entender que as pessoas podem até não acreditar na Bíblia, isso é um direito delas. Mas é impossível desrespeitar a veracidade da Bíblia. Até porque o Livro Sagrado não necessita de atualizações. Se atualizam softwares, blogs, sites, aplicativos, linguagem, dados etc… Mas princípios não se atualizam, eles são fundamentos permanentes e imutáveis, e a Bíblia é um livro de princípios morais e éticos.

Apenas para não ficar apenas com a minha linha de pensamento, quero deixar aqui alguns dados que provam a veracidade da Bíblia.

A Bíblia foi escrita durante um período de 1.500 anos – de Moisés ao apóstolo João – por 40 autores diferentes. Esses autores exerciam diferentes atividades, viviam distantes uns dos outros, tinham estilos e características distintas e eram provenientes de três continentes. No entanto, todos escreveram as mesmas coisas, mesmo vivendo em tempos e locais diferentes.

Independentemente dessas circunstâncias, na Bíblia há um só plano que de fato mostra que há apenas um autor divino, guiando os seres humanos. Isto é o que garante a unidade da revelação bíblica.

E, a Bíblia é confiável? Pois bem, segundo o Vaticano, e outras fontes científicas, a veracidade dos escritos antigos são medidos pela quantidade de cópias, pois bem… O Novo Testamento possui aproximadamente 24.000 cópias, segundo uma fonte internacional.

Vamos fazer um comparativo com outros livros antigos e escritores famosos?

  • César escreveu entre 100-44 a.C. O fragmento mais antigo que temos de seus textos é de 900 d.C., uma diferença de mil anos entre o original e a cópia. Possuímos 10 manuscritos de sua autoria.
  • Platão escreveu entre 427-347 a.C. A cópia mais antiga de seu trabalho é de 900 d.C., ou seja, uma diferença de 1.200 anos. Possuímos sete manuscritos de sua autoria.
  • Homero escreveu Ilíada em 900 a.C. Temos a cópia mais antiga em 400 a.C., ou seja, 500 anos depois do original. Ao todo, em mãos, temos 643 manuscritos da Ilíada.
  • O Novo Testamento foi escrito entre 40-100 d.C. O manuscrito mais antigo que temos é de 125 d.C., uma diferença entre 25-50 anos do original. Ao todo, possuímos 24.000 manuscritos antigos do Novo Testamento. Uma distância do original que é incomparável e uma quantidade absurdamente maior de documentos que as outras literaturas da Antiguidade. (Fonte: Por que Confiar na Bíblia?, Amy Orr-Ewing, Ultimato, 2008, pg 43).

O que quero dizer com esses dados? Para um livro ter sobrevivido durante tantos anos é preciso respeito a ele. Mas, digo mais, é preciso respeito a quem acredita, lê e ama as mensagens contidas nesse livro. Da mesma maneira que Paulo Gustavo deseja ser respeitado por sua arte, nós queremos ser respeitados por nossa crença.

Obrigado, tenha uma ótima semana.

Pastor Lucas nasceu em Santa Vitória, em Minas Gerais. Sua carreira de compositor começou em 2011. Há quatro anos como cantor, lançou três CDs. Congrega na Comunidade Evangélica Vida no Altar, em São Paulo. É casado com Thaisa Rahmé e pai de Gabriel e Samuel.