Leia também:
X Nenhum mal nos acometerá que não seja um jugo suportável

Por que você deve largar a pornografia

A pornografia pode ser prazerosa, mas tem péssimas consequências

Pedro Augusto - 03/01/2022 11h33

A pornografia é fácil de ser acessada e ainda é incentivada por muitos pais, amigos e médicos. No entanto, ela traz várias consequências ruins aos seus consumidores, principalmente os adolescentes, por estarem em uma fase de descobertas.

O primeiro problema que quero destacar é um mal silencioso, a objetificação. Quem consome pornografia com uma frequência alta infelizmente associa as pessoas a meros objetos sexuais ou meios de obter prazer. Se você consome ou já consumiu muito conteúdo explícito pode reparar: os seus olhares para os outros têm uma conotação sexual.

Um segundo problema da pornografia é a insegurança. Os atores e atrizes possuem corpos diferentes do homem e da mulher comum. Os órgãos sexuais avantajados e os corpos magros produzem a ideia de que aquilo é o ideal, bonito e comum. Porém, sabemos que o ser humano é diverso em seu tipo de corpo, enquanto, nos filmes pornográficos, há uma padronização de corpos.

Jovens que se comparam com os atores e atrizes podem se sentir inseguros e com baixa estima por estarem fora dos padrões. Não é estranho que muitas pessoas recorram a inúmeros procedimentos estéticos para serem aceitas por outras.

Outro problema é a performance irreal. Muitas pessoas usam os filmes pornográficos como referência para as suas atividades sexuais. Contudo, diferente dos vídeos – em que muitas vezes há violência, xingamentos, prazer sexual somente para o homem e prolongadas performances -, o sexo real é voltado para a satisfação mútua, e não para ser praticado com violência e produzir dor.

Embora eu tenha discorrido sobre isto anteriormente, é importante dedicar uma parte desse texto para tocar apenas em um ponto: o incentivo à violência contra a mulher. Em vários filmes, as atrizes aparentam sentir prazer em cenas em que claramente suas personagens estão sendo machucadas.

Dar referências de que o prazer sexual é alcançado mediante a violência é um prato cheio para gerar homens que não sabem proporcionar prazer e mulheres que não conseguirão alcançá-lo.

Além disso, o prazer rápido é um outro problema. Com ele, há apenas a busca pela satisfação individual, enquanto o sexo existe para proporcionar o prazer mútuo e a doação.

Também é bom destacar que várias pesquisas apontam a existência de uma relação entre o consumo de pornografia e a ejaculação precoce.

Por fim, quero fazer uma pergunta: por que motivo você consome pornografia? É apenas um hábito, um impulso sexual ou uma forma de lutar contra a carência?

Já conversei com pessoas que, em busca de ajuda, relataram-me que consomem filmes de teor sexual quando se sentem solitárias.

A solidão é algo ruim. Porém, não busque boas sensações na pornografia como um meio de fugir das tristezas. Converse com pessoas, saia, estude, pratique exercícios ou inicie uma atividade que lhe proporcionará a possibilidade de criar laços com pessoas.

Se você entende que a pornografia é algo ruim, converse com alguém de sua confiança, corte os gatilhos, faça atividades físicas e ocupe a sua mente com coisas saudáveis.

Também veja como estão as suas redes sociais. Consuma conteúdos que proporcionem crescimento pessoal, espiritual e profissional e deixe de seguir ou interagir com perfis que lhe dão gatilhos ruins.

Uma outra opção é silenciar as publicações de alguns perfis. Se você tiver alguma dúvida, pesquise no Google “como silenciar publicações no Instagram”.

Pais, conversem com seus filhos sobre o tema antes que outra pessoa apresente a eles o conteúdo explícito. Se, por acaso, eles estiverem passando por algum problema, não gritem com eles; antes, conversem e mostrem-lhes que vocês estão ali para apoiá-los e ajudá-los a vencer esse desafio. E, se acharem necessário, busquem ajuda profissional ou espiritual.

O prazer sexual foi algo criado por Deus. Desfrute dele, mas dentro do casamento e de um ambiente de amor, carinho e intimidade.

Para ver mais conteúdos de minha autoria, clique aqui e siga-me no Instagram.

Pedro Augusto é formado em Jornalismo, já escreveu para outros sites conservadores, possui redes sociais sobre história, é viciado em livros e em breve estará cursando Teologia.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.