CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X A culpa é do…

Como tudo começou

Comecei a publicar frases com conselhos e, para minha surpresa, centenas de pessoas começaram a se identificar com a nossa proposta

Nelson Junior - 05/10/2017 14h22

Como tudo começou / Foto: Pixabay

Era verão de 2011 quando voltei a aceitar convites para pregar em encontros de jovens e adolescentes. Depois de dez anos sem atuar nessa área, eu não sabia o que falar; por isso, comecei a testemunhar sobre minha decisão de ter esperado até o casamento para me relacionar sexualmente. Eu dizia: “Eu escolhi esperar… e valeu a pena!”. Foi assim que tudo começou.

Em março do mesmo ano, decidi abrir um perfil nas redes sociais para ajudar as pessoas que participavam das minhas palestras e tomavam essa decisão. Comecei a publicar frases com conselhos e, para minha surpresa, centenas de pessoas começaram a se identificar com a nossa proposta e passaram a recomendar seus amigos para seguirem nosso perfil. Foi incrível ver que, em apenas três meses, a campanha Eu Escolhi Esperar tornou-se viral na internet, ganhando milhares de seguidores em poucos dias.

Naquela mesma época, comecei a fazer transmissões online, ao vivo, todas as sextas-feiras. Eram gravações amadoras, feitas na sala da minha casa. Milhares de jovens se conectavam de todas as partes do Brasil e até do exterior para assistir às minhas palestras. A cada semana eu apresentava um tema diferente, mas sempre relacionado à vida sentimental e sexualidade. Foi quando percebi que existia um vácuo enorme sobre o assunto para os solteiros, principalmente cristãos. Percebi como as pessoas das mais diferentes idades e denominações religiosas assistiam aos vídeos, seguiam e aderiam à campanha, mas sabiam muito pouco sobre o assunto.

A maioria dos repórteres que me entrevistam faz uma pergunta comum: “Como você explica o sucesso da sua campanha? Você fala sobre algo que jovens e adolescentes detestam: esperar. Ainda mais quando se trata de guardar-se sexualmente até o casamento”. Expliquei que, na verdade, não tem a ver com sucesso, mas com carência.

Em nossos dias, há muita vulgaridade e banalização do sexo e da vida amorosa. Existe uma multidão de pessoas feridas, desorientadas e insatisfeitas com a vida amorosa — e elas não conseguem discernir o porquê. A Eu Escolhi Esperar não é um sucesso, mas uma espécie de resposta para uma geração que deseja experimentar algo novo e diferente. É uma campanha que caminha contra a cultura estabelecida em nossos dias e apresenta outra via, resgatando valores e princípios eternos que a geração dos nossos pais desprezou, mas que jovens dos nossos dias estão experimentando.

Em três anos, a Eu Escolhi Esperar assumiu enormes proporções: Mais de três milhões de pessoas se conectaram a ela por meio das redes sociais e, no Twitter, em 2012, tornou-se um dos cinquenta perfis mais influentes do Brasil. Além disso, a campanha ganhou destaque na televisão, em programas de grande alcance, como Hora do Faro, com Rodrigo Faro; Mais Você, com Ana Maria Braga; Profissão Repórter, com Caco Barcelos; e Encontro com Fátima Bernardes. O Eu Escolhi Esperar já foi assunto de reportagens em importantes revistas e jornais, como Época, Veja, Superinteressante, Caras, Capricho, O Globo, Folha de S. Paulo e Estadão.

Em um período de 24 meses, mais de 200 mil pessoas participaram dos seminários oferecidos pela campanha em todo Brasil. São mais de três mil convites por ano para dar palestras em igrejas, escolas e acampamentos. A Eu Escolhi Esperar já visitou todos os estados do Brasil e, no exterior, foi a países como Haiti, Inglaterra, Estados Unidos e Guiné Bissau, país em que desenvolveu uma frente humanitária voltada ao resgate de adolescentes que se tornaram prostitutas porque sua virgindade foi vendida quando ainda eram crianças.

A vida sentimental é a área que mais influencia nossa vida, nossas escolhas, nossos pensamentos e até o nosso humor. Você pode passar por um problema de saúde e nem sempre esse problema afetará as outras áreas. Uma pessoa pode enfrentar lutas em casa, no trabalho, nos estudos e até em suas amizades, mas nem sempre um determinado problema interfere nas outras área da vida. Já nas vezes em que alguém vive um problema na vida amorosa parece que isso influencia tudo mais. Quando o coração não está bem, tudo vai mal. Quando enfrentamos uma crise amorosa, ficamos mal por dentro e por fora. Se o coração está mal, ficamos mal no trabalho, nos estudos, com os amigos, em casa, na igreja e na relação com Deus. Por isso, esse assunto — que não é o mais importante do cristianismo — tornou-se urgente.

Decepções amorosas são um dos principais motivos para pessoas se desviarem da igreja. Poucas coisas mexem tanto com uma pessoa quanto a vida sentimental. Logo, temos de cuidar bem do coração. Não posso mais assistir passivamente a uma geração ferida e frustrada, nem tratar somente de sexo no casamento se há uma multidão de pessoas desorientadas e infelizes no amor. De pouco servirá aprender a se preservar sexualmente até o casamento se você não chegar emocionalmente saudável nele.

Mas como falar sobre a importância de esperar em uma geração que tem tanta pressa? Quem disse que é fácil esperar? A verdade é que ninguém gosta de esperar — admito, eu mesmo não gosto. Então, como esperar se as coisas hoje acontecem de forma tão imediata? Os dias passam voando, os fatos se sucedem rapidamente, quando percebemos já estamos no final de mais um ano.

O dia passa tão rápido que 24 horas parecem ser pouco tempo para se resolver o tanto que precisa ser feito. Os meses estão acelerados, os anos passam, e você percebe que está ficando mais velho. Isso se torna mais desesperador para muitos quando percebe-se que o tempo está voando e ainda continuam sem ninguém com quem desenvolver um relacionamento afetivo.

Sim, esperar por qualquer coisa é muito difícil. Conheço pessoas que o máximo que conseguiram esperar foram nove meses para nascer; e, mesmo assim, algumas nem isso conseguiram e nasceram prematuras. Falar em esperar em nossos dias é um grande desafio, parece mais difícil quando falamos sobre encontrar o grande amor da nossa vida e mais complicado ainda esperar para ter relação sexual somente no casamento.

Escolher esperar é muito mais do que não fazer sexo antes do casamento. Costumo dizer nas minhas palestras que pouco adianta as pessoas chegarem virgens no casamento, sexualmente intactas por fora, mas completamente destruídas por dentro, marcadas e feridas por relacionamentos anteriores. Não adianta o corpo querer esperar se o coração tem pressa. Conheço muitos jovens que guardam o corpo, e isso é muito bom — na verdade, é maravilhoso. Mas percebo que a maioria deles não compreendeu que tão importante como guardar seu corpo é guardar também o coração (cf. Pv 4.23).

Esperar aparenta ser uma missão impossível porque vai contra nossa natureza, que se levanta diariamente tentando nos fazer desistir. Muitas pessoas não gostam de esperar, o inimigo deseja fazer você se precipitar, seus desejos têm pressa e só buscam os prazeres momentâneos. São muitos fatores trabalhando juntos para que não façamos o certo. O que nos fortalece é que o Espírito Santo está sempre pronto para nos ajudar nos momentos de fraqueza e nos impulsionar a ficar firmes na presença de Deus.

Há uma pressão muito grande para desistirmos de agir segundo a vontade de Deus. O mundo odeia quem não é igual a todo mundo. Quando você se propõe a não ter pressa e começa a buscar agradar o coração do Senhor, acontecem situações as mais diversas para nos fazer desanimar. Muitas vezes você não encontrará o apoio das pessoas que estão próximas, seus amigos o aconselharão a fazer o errado e até a pessoa com quem estamos nos relacionando podem nos pressionar a fim de tomarmos decisões precipitadas.

É uma ilusão achar que fazer a vontade de Deus é fácil. Ilusão maior ainda é acreditar que não valerá a pena. Há promessas para aqueles que abrem mão das satisfações do mundo, que negam seus prazeres e andam na presença do Senhor. Veja o que diz a Bíblia: “Se agir assim, certamente haverá bom futuro para você, e a sua esperança não falhará” (Pv 23.18).

Deus é fiel e não se esquece nunca das escolhas que fazemos para agradar seu coração e obedecer à sua palavra. As decisões de hoje interferem no amanhã.


Nelson Junior é idealizador do Projeto “Eu Escolhi Esperar”. É formado em teologia e tem mestrado em comportamento humano pela Florida Christian University (USA). Atua como escritor, palestrante, youtuber, master coach e trabalha com adolescentes e jovens há 25 anos.

Leia também: