Leia também:
X Nunca antes se assistiu uma festa cívica de tamanha envergadura

O recado foi dado, mas a luta continua, principalmente no campo espiritual

"Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados"

Marisa Lobo - 08/09/2022 19h15

O 7 de Setembro de 2022 foi um dia histórico! Sem dúvida, esse foi o Dia da Independência mais comemorado e significativo do Brasil em seus 200 anos. Para o mundo político, o recado da população foi dado com sucesso! Mas será que já podemos comemorar os resultados?

No Brasil, a luta que travamos não é apenas política, mas também espiritual. Já disse isso em várias ocasiões, até porque essa é uma realidade que todo cristão deve conhecer muito bem, tendo em vista os ensinamentos da Bíblia Sagrada. Como podemos observar na passagem de Efésios, capítulo 6 e verso 12: “Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”.

Isto significa que, sempre que lutamos para defender os princípios e valores da fé cristã, também estamos travando uma batalha espiritual. O 7 de Setembro deste ano pode ter sido gigantesco, mas a guerra sobrenatural é ainda maior, porque ela atua nos bastidores, invisivelmente, e muitas vezes não nos damos conta da sua existência.

É por isso que a continuidade da passagem em Efésios, no verso 13, também alerta: “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes”.

O Brasil é um país rico, único em matéria de diversidade de recursos, tendo o potencial de influenciar o mundo inteiro com sua cultura e decisões. Por isso, a luta pelo controle do seu governo não é diferente da que ocorre nos Estados Unidos, pois tudo que é decidido, aqui, impacta o restante dos países, especialmente na América do Sul.

Sendo assim, repercuto e endosso as palavras do querido pastor e amigo Josué Gonçalves, que ao comentar o 7 de Setembro, através das suas redes sociais, lembrou das “fortalezas espirituais contra a Igreja” de Cristo em nosso país.

“Nunca se viu na história recente do nosso país debates tão acalorados no que diz respeito à liberdade de expressão, liberdade de culto, direito de ir e vir em oposição à ditadura do politicamente correto, à imposição de comportamento das minorias, incompatível com nossa fé, em relação às maiorias”, disse Josué.

O pastor lembrou que “o cristão precisa ter maturidade para olhar para esse cenário dentro de uma perspectiva espiritual”, uma vez que “existem sim, fortalezas espirituais que estão se levantando para destruir nossa fé”. O que concordo plenamente.

Por essa razão, ressalto que apesar do sucesso do 7 de Setembro, não podemos descansar. Nós, conservadores e cristãos, devemos continuar agindo para que o nosso país continue nas mãos de um governo que acredita em Deus, respeita a família e defende a vida. É nisso que acredito, e por isso luto!

Que as multidões do Dia da Independência se convertam numa consciência política cada vez maior, sobretudo no que diz respeito à obediência à Palavra de Deus. Esse é o meu desejo!

Marisa Lobo possui graduação em Psicologia, é pós-graduada em Filosofia de Direitos Humanos e em Saúde Mental e tem habilitação para Magistério Superior.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.