Leia também:
X Fim da bagunça! Foque na organização

Atenção! Está aberta a temporada de políticos hipócritas

A população precisa ficar atenta aos candidatos com esse perfil

Marisa Lobo - 03/10/2020 12h55

Não só no Brasil, mas na maior parte do mundo, o período eleitoral já é conhecido pelo surgimento de pessoas que pretendem se eleger a algum cargo público. O que é normal e até necessário, mas a população precisa ficar atenta aos candidatos hipócritas, isso por vários motivos.

Antes de qualquer coisa, explico que falar sobre isso é extremamente importante, porque boa parte das más administrações que vemos em alguns estados e municípios (e já vimos na presidência dos últimos governos) se deve ao voto errado de uma população que foi induzida, manipulada e enganada por políticos oportunistas.

Por isso, quando falo das características do político hipócrita, tenho como objetivo maior ajudar a você, cidadão, na melhor escolha dos seus candidatos. Especialmente se você preza por eleger figuras cristãs, comprometidas com os valores do cristianismo.

Abaixo, listo 3 características do “político hipócrita” que devem ser evitadas por todos os cidadãos, especialmente os cristãos:

1. Candidato sem história
Você confiaria votar em um estranho? É isto o que acontece quando você resolve acreditar nas promessas, nos discursos de um candidato sem histórico de militância.

No mundo político, um candidato sem história é um estranho. Se já é um político disputando reeleição, é mais fácil decidir, mas ainda assim há pessoas que já atuam na vida pública que continuam estranhas.

São figuras que foram eleitas com o apoio do “amigo do amigo do meu pai”, se é que me entendem. Muitas vezes eleitas, também, pela força do partido, surfando nos votos que “sobraram” de outros candidatos. Ou seja, já são políticos de carreira, mas para o grande público continuam estranhos.

Por outro lado, há pessoas que nunca foram eleitas, mas atuam há anos na militância. São pessoas que muitas vezes, de tão engajadas na luta pelo que acreditam, são confundidas com políticos de carreira, mas sem nunca terem ocupado qualquer cargo político.

O candidato que tem militância tem história! Pela história da sua militância você conhece o candidato. A chance de você acertar é muito maior quando o seu voto é depositado em alguém que tem histórico de militância, pois basta checar se o que essa pessoa defende é compatível ou não com os seus valores.


Eu com o presidente Jair Bolsonaro

2. Candidato “isentão”
Desconfie de todo candidato que pretende agradar a gregos e troianos. Não vivemos numa geração onde a tolerância predomina de todos os lados do debate público. Nós, cristãos e conservadores, sabemos muito bem que os nossos adversários não querem coexistir conosco, mas sim nos calar, nos reprimir e até criminalizar.

Se você quer eleger figuras conservadoras, por exemplo, opte por quem tem a coragem de assumir posições, abertamente, custe o que custar. Evite quem fala o “marinês”, ou seja, pessoas que dificilmente são objetivas sobre o que defendem, mas usam da subjetividade, do “relativo” e do “depende” como forma de desviar o foco dos temas mais polêmicos. Geralmente, esses são verdes por fora, mas vermelhos por dentro.

3. O candidato marqueteiro
Por fim, talvez a característica principal do político hipócrita seja a sua capacidade de construir uma falsa imagem através do marketing. Ou seja, da propaganda! Ele é uma pessoa nos bastidores e outra na frente das câmeras. Uma pessoa com a família e outra pessoa no púlpito da igreja.

Uma pessoa na banca da feira, na mesa do marmitão, no Seu João do cachorro-quente, e outra completamente diferente no churrasco com os amigos em sua mansão, ou no almoço reservado entre os colegas de partido na hora de fazer a sua “estratégia de marketing”.

A dica para evitar esse tipo de figura hipócrita é buscar conhecer a sua história de vida, sua militância e seu círculo de convívio. Quem é autêntico não apresenta incoerências ao longo da sua trajetória. Não defende a “liberdade da mulher” sobre o próprio corpo em 2015, por exemplo, e diz que é contra o aborto agora em 2020.

Outra dica para identificar o candidato marqueteiro é observar o que ele passa a fazer de novo durante o período eleitoral. “Fulano” nunca apareceu comprando peixe na quitanda, mas agora está postando vídeo fazendo isso? Desconfie! Nunca apareceu comendo pastel na feira, mas agora aparece tomando até melaço com Seu Biu? Hum…

Essas são algumas características do político hipócrita, quer seja sobre o que já possui carreira ou que pretende ingressar nela. Se você prestar atenção, verá que voto também é algo lógico. Siga essa lógica e escolha bem seus candidatos.

Marisa Lobo possui graduação em Psicologia, é pós-graduada em Filosofia de Direitos Humanos e em Saúde Mental e tem habilitação para Magistério Superior.
* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.