Uma heroína entre os insensíveis

Não vi sequer uma manifestação das "feminazi" em apoio a essa jovem que merece nossas mais sinceras homenagens

Marco Feliciano - 14/02/2019 14h50


Alô, irmãos, alô, amigos que me dão a honra de acompanhar minha coluna aqui no Pleno.News!

Nesses tempos de tragédias que se abateram sobre nosso povo, destaco o trágico acidente de helicóptero na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, que vitimou o jornalista Ricardo Boechat e o piloto Ronaldo Quattrucci. Este acidente comoveu toda a nação, pela morte da figura ímpar do jornalista nascido em Buenos Aires, filho de pai diplomata, portanto, brasileiro com plena cidadania e uma das figuras mais importantes do nosso jornalismo, Ricardo Eugênio Boechat.

Com passagens por vários dos mais importantes veículos de comunicação do Brasil, desde o jornal impresso, televisivo e, por fim, de rádio, onde durante décadas foi referência de um jornalismo crítico de bom humor e irreverência, bem ao gosto de seu imenso público, Boechat deixa uma irreparável lacuna em sua emissora e no coração de seus fãs.

De todo esse momento de dor, emergiu a figura de uma pessoa anônima que demonstrou o grande altruísmo do qual o ser humano é capaz. Uma jovem que, no momento da queda da aeronave, passava pelo local de motocicleta com seu esposo e presenciou o acidente, teve a coragem de prestar auxílio ao motorista preso às ferragens e, com uma faca, cortar seu cinto de segurança e retirá-lo da cabine destroçada do caminhão. Ela ainda tentou puxar a mão de um sobrevivente do helicóptero, sendo impedida pelo risco de explosão, o que, em seguida, aconteceu, arriscando sua própria vida. Me refiro à Leiliane Rafael da Silva, nossa heroína.

Acompanhei todo o noticiário e não vi sequer uma manifestação das “feminazi” em apoio a essa jovem que merece nossas mais sinceras homenagens. Não podemos nos esquecer que segundos são importantes num eficiente socorro. No entanto, vários homens também presentes no local do acidente, muito provavelmente com maior força física que Leiliane, se preocuparam apenas em gravar vídeos, numa autêntica demonstração de covardia e insensibilidade.

Finalizo pedindo a Deus que conforte as famílias do jornalista e do piloto, e que mais pessoas como Leiliane surjam nos momentos de desespero, para amenizar a dor daqueles que sofrem. Que Ele derrame Suas mais escolhidas bênçãos sobre todos.

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo