Racionais MC’s vira leitura obrigatória para vestibular da Unicamp

O que uma Universidade Pública pretende com esse tipo de leitura?

Marco Feliciano - 25/05/2018 16h45

Alô, amigos! Alô, irmãos que leem minha opinião, aqui no Pleno.News, venho hoje até vocês indignado, porque constantemente somos postos à prova. O tempo todo estão nos testando como cidadãos, como pais de família, e, no meu caso, como legislador e fiscal do que ocorre no Executivo. Mas, nosso compromisso é com tudo aquilo que possa vir a atingir a família e nossa tradição judaico-cristã, pois esses ataques chegam de todos os lados. E alguns deles são previsíveis e outros nem tanto.

Um desses ataques veio recentemente, quando a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou que tornará obrigatória, para seu vestibular, a leitura do acervo artístico musical do grupo Racionais MC’s.

Racionais MC’s vira leitura obrigatória para vestibular da Unicamp Foto: Divulgação

Confesso que pesquisei todas as letras das músicas desse conjunto e não encontrei nenhuma à altura de publicar neste espaço aqui, já que você, leitor é uma pessoa de boa índole. Todas as letras desse grupo apresentam conteúdo chulo e sem nexo, algo totalmente diferente do que se espera que uma Universidade Pública peça.

Eu pergunto: Como uma Universidade Pública pode obrigar os postulantes a uma vaga a lerem letras eivadas de palavras de baixo calão, que denigrem a figura da mulher, dos policiais… Enfim, um verdadeiro lixo intelectual?

Vou notificar o Exmo. Sr. governador Márcio França para que tome as providências que achar cabíveis para cessar esse descalabro contra nossos jovens. Pois, aquilo que não pode ser falado em casa, entre a família, não deve ser orientado a ser estudado para uma prova saudável de ingresso a uma universidade merecedora desse título.

Finalizo pedindo a Deus que ilumine esses pedagogos para que respeitem nossas famílias. E peço a Ele que derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais sobre todos.

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.