Quem está por trás do terrorista de Minas Gerais?

A imprensa vendida tenta pintar o terrorista como um lobo solitário. Mas ele se mantém sem trabalhar e seus advogados são pagos por misteriosos financiadores

Marco Feliciano - 14/09/2018 12h12

Alô, amigos! Alô, irmãos que me acompanham no Pleno.News. É com grande responsabilidade que trago a vocês uma análise sobre os fatos políticos, do que acontece em nossa nação, decorrentes do atentado terrorista do qual foi vítima o candidato à Presidência Jair Bolsonaro.

O momento da facada em Jair Bolsonaro Foto: Reprodução

Todo o país tem acompanhado a trajetória da campanha a presidente de nosso deputado Jair Bolsonaro. Essa campanha tomou conta das ruas e conquistou o coração dos brasileiros, pois traz uma mensagem forte, realista, que vem ao encontro dos anseios da maioria do brasileiros. Pois Bolsonaro é conservador e está em defesa da família, da vida e se coloca contra essa desenfreada violência que ceifa a vida de jovens, destrói famílias e causa enorme prejuízo ao desenvolvimento do país.

O candidato Bolsonaro já vinha se cercando de cuidados com sua segurança. Ele estava consciente das intenções malévolas de seus oponentes que, não perdoam nem mesmo seus aliados quando se trata de pôr em prática os ensinamentos adquiridos em Cuba para chegar ao poder a qualquer custo. Afirmo isso lembrando do caso de Celso Daniel, então prefeito de Santo André, São Paulo, por ocasião de sua morte. E recordando também os sete assassinatos que sucederam o de Celso. Foram pessoas que tiveram contato direto no caso e todos sete morreram de forma violenta.

Hoje, parte da imprensa comprometida e vendida tenta pintar o terrorista de Minas Gerais como um lobo solitário e insano. Como se fosse um coitado que apenas quis dar um susto em um candidato a quem ele se opunha. Mas esse terrorista se mantém sem trabalhar, viaja por todo o país, participa de clubes de tiro, usa computadores, se hospeda em pensões pagando adiantado e seus advogados são pagos por misteriosos financiadores. E o ato praticado só não foi mortal pela rapidez do atendimento dos valorosos profissionais da Santa Casa de Juiz de Fora.

Também, a eficiente Polícia Federal, com certeza, está dando o melhor de si para apresentar uma resposta ao país de quem são os mandantes desse ato covarde. Sim, um ato covarde que foi praticado não contra apenas uma pessoa, mas contra toda uma nação que, na sua imensa e esmagadora maioria, aposta nas mudanças necessárias para sairmos da maior crise da história moderna. Lembrando que a crise é derivada do assalto aos cofres públicos, perpetrada por essa esquerda ateísta, destruidora de valores e que, por pouco, não nos transformou numa Venezuela.

Finalizo agradecendo a Deus pelo milagre da sobrevivência de nosso futuro presidente Jair Bolsonaro e pela sua pronta recuperação. Pedindo a Ele que derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais a todo povo brasileiro.

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.

Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo