Leia também:
X A importância da intimidade em família contra as investidas do inimigo

Precisamos orar por todos, especialmente pelas autoridades

Estamos sob a égide de um governo conservador, de viés judaico-cristão

Marco Feliciano - 28/12/2021 15h05

Marco Feliciano, na companhia do presidente Jair Bolsonaro, em agosto Foto: Arquivo pessoal

Estamos na última semana do ano e só temos a agradecer a Deus, que minimizou para nós Seus desígnios de que “no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo…” (João 16:33 ARC).

Jesus não prometeu solucionar nossos problemas, mas aliviá-los – isto é, aliviar o peso da nossa cruz para podermos carregá-la com menos sofrimento e sem esmorecer.

Na caminhada final de mais um ano que se encerra, devemos orar por todos – especialmente pelas autoridades constituídas, em cujas mãos Deus colocou Seu povo (Romanos 13:1,2).

Graças às orações de uma nação cristã, estamos sob a égide de um governo conservador, de viés judaico-cristão, que, numa demonstração de temor a Deus, indicou para o STF um ministro evangélico que prega o evangelho de Cristo, que sabe que irá morar no céu por misericórdia do Altíssimo e que combate de todas as formas a corrupção e a destruição da família e dos bons costumes.

Nosso presidente, em face das últimas enchentes na Bahia, colocou todo o seu staff do governo federal para trabalhar a fim de minimizar o sofrimento de nossos irmãos baianos. Isso vem sendo feito com a presença física de diversos ministros e com disponibilização de vultosas verbas – numa demonstração concreta de afeto pelos desassistidos que são vítimas dessas trágicas intempéries.

Finalizo agradecendo a Deus por todas as bênçãos concedidas nesses últimos dias do ano que se encerra. Que Ele derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais sobre todos nós, Seus filhos diletos, especialmente os baianos!

Marco Feliciano é pastor e está em seu terceiro mandato consecutivo como deputado federal pelo Estado de São Paulo. Ele também é escritor, cantor e presidente da Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.

* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.