CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Você tem uma vida extraordinária?

Por trás do Seminário Internacional, Os Fins da Democracia

Uma autêntica miscelânea do mesmíssimo, ou seja, nenhum convidado de diferente corrente filosófica para ao menos suavizar o vermelho forte do ambiente

Marco Feliciano - 30/10/2017 10h36

Tudo financiado com dinheiro público que o SESC obtém com subsídios governamentais, o que reputo de extrema gravidade

Chamo a atenção de vocês para transmitir uma notícia que eu preferiria não dar, tamanha a gravidade. Vem aí algo que irá fazer parecer que a exposição do Santander, o peladão do MAM, o filme do Marighela, as trans da novela são inocentes acontecimentos.

Vamos lá, o SESC Pompeia promove entre os dias 7 a 9 de novembro, o Seminário Internacional, Os Fins da Democracia. Entre intelectuais e ativistas convidados traz a Senhora Judith Butler, filósofa americana, que é nada mais nada menos que a criadora da Ideologia de Gênero. Traz também Susan Buck-Morss, professora de Filosofia Política na Universidade Cornell (EUA), filósofa feminista radical, a mais aguerrida militante da Ideologia de Gênero. Ela publicou diversas obras e entre elas, cito, Hegel e o Haiti, na qual aborda o tema da escravidão negra com uma visão maniqueísta.

Conta na programação ainda Monique David-Ménard, autora de As Construções do Universal, obra em que define seu pensamento filosófico numa frase: “porque definir a moralidade pela ideia” de que “para todo humano a lei vale”?. Wendy Brow, também filósofa feminista, cientista política, parceira com quem vive Judith Butler, e prega as mesmas ideias da Ideologia de Gênero. E, Wlademir Safatle, que dispensa comentários, filiado ao PSOL, marxista radical, discípulo de Sérgio Soros.

Isso cheira a revitalização da Escola de Frankfurt de Marcuse. Por si só é uma tragédia moral para nosso país, ainda mais com a presença da famigerada teórica de gênero, Butler, figura carimbada dos meios acadêmicos mundiais. Peço que me ajudem a avaliar negativamente a página do SESC Pompeia. Uma autêntica miscelânea do mesmíssimo, ou seja, nenhum convidado de diferente corrente filosófica para ao menos suavizar o vermelho forte do ambiente.

Enfim, uma plêiade de palestrantes adeptos da globalização, da desconstrução da família, da descristianização, tudo financiado com dinheiro público que o SESC obtém com subsídios governamentais, o que reputo de extrema gravidade. Solicitarei informações do Ministério da Indústria e Comércio e do Tribunal de Contas da União.

Finalizo, agradecendo a Deus por nos dar força para enfrentar esses monstros de sete cabeças que João muito bem definiu em seu livro, o Apocalipse, pois, parece que estamos no fim dos tempos·.

 

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.