Leia também:
X Socorro! Sou solteira e tenho medo de ficar para titia!

Polícia Federal mira exploração ilegal de diamantes

As riquezas minerais do Brasil foram roubadas por séculos

Marco Feliciano - 29/09/2020 10h40

Local onde acontece extração ilegal de diamantes próximo em Rondônia Foto: Divulgação / Polícia Federal

Estamos ingressando em uma nova era no que diz respeito a proteção de nossas riquezas minerais. Elas, durante séculos, foram roubadas com conivência de maus brasileiros. Corruptos que fizeram vistas grossas a passagem de verdadeiras fortunas em recursos minerais, ouro, diamantes, metais raros e biotecnia, abundantes em nosso país.

Nos últimos dias a Polícia Federal prendeu em flagrante garimpeiros e avaliadores de gemas vendidas em São Paulo, Rio de Janeiro e no exterior. Os garimpos clandestinos se localizam na Reserva Roosevelt, em Rondônia, área com o maior índice de kimberlito (rocha matriz do diamante) do mundo. Todo esse tesouro estava nas mãos de clandestinos com a anuência de quem deveria coibir esse criminoso desvio das riquezas amazônicas.

Extração ilegal de diamantes na Terra Indígena Cinta Larga em Rondônia Foto: Divulgação / Polícia Federal

Esse é um dos motivos de tanto interesse dos estrangeiros pela Amazônia. Interesse esse que é disfarçado de preservação ambiental. Por ordem do presidente Jair Bolsonaro foi incrementado o Conselho Nacional da Amazônia Legal presidida pelo vice-presidente Hamilton Mourão ,desmontando castas de servidores alinhados com governos anteriores e substituindo por militares nacionalistas defensores das riquezas do nosso subsolo.

Diamante apreendido durante investigações da Polícia Federal em Rondônia Foto: Divulgação / Polícia Federal

É inimaginável o montante dos tesouros desviados anualmente. Agora, com o rigoroso controle, todo esse potencial poderá ser usado em benefício do povo brasileiro, proporcionando dias melhores para todos.

Diamante apreendido durante investigações da Operação Crassa em Rondônia Foto: Divulgação / Polícia Federal

Finalizo constatando a máxima de que é melhor tarde do que nunca. Peço a Deus forças as autoridades para superar as resistências, derramando as mais escolhidas bênçãos celestiais a todos.

Marco Feliciano é pastor, deputado federal por São Paulo e presidente da Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.
* Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a do Pleno.News.
Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.