Paulo Gustavo e seu grande talento para brincadeiras ditas inofensivas

Recentemente, o ator gravou um vídeo no qual novamente vilipendia a fé cristã

Marco Feliciano - 05/07/2018 16h06

Alô, amigos, alô, irmãos leitores do Pleno.News. Peço a atenção de vocês para um fato gravíssimo, mas que pela banalidade com que tem sido encarado, parece dar munição a verdadeiros criminosos que se travestem de artistas. Digo isso, sem fazer trocadilho; mas o objetivo desses criminosos travestidos de intérpretes é apenas vilipendiar a fé alheia.

Estou me referindo ao ator Paulo Gustavo que inegavelmente possui um grande talento para brincadeiras ditas inofensivas. O ator tem uma grande capacidade de interpretar papéis femininos, mas não deveria dirigir seu personagem para o assunto que reverbera em seus “shows”: a sátira aos próprios colegas LBGTs. Nesses “shows”, Paulo Gustavo se utiliza de um partner homossexual que faz escada para suas investidas, usando termos dirigido aos homossexuais. Contudo, se esses mesmos termos fossem ditos por um hétero seriam passíveis de processos. Outro artifício usado em suas apresentações são sátiras religiosas, ofensas ao sagrado. Eu me pergunto: será que lhe falta assunto?

Recentemente, Paulo Gustavo gravou um vídeo no qual novamente vilipendia a fé cristã. No filme, ele interrompe um casamento e pede que o sacerdote o case com seu “marido”, numa comédia de mau gosto. Na sequência, diz que a Bíblia está desatualizada e ainda afirma que Deus é que cria as pessoas LBGTs; misturando o ser com o fazer. Como se não bastasse, prossegue com suas aleivosias declarando: “se Jesus Cristo fosse vivo hoje, estaria no show de Pabllo Vittar, com certeza. Porque está todo mundo indo”. O ator demonstra ignorância total da fé cristã que crê num Jesus vivo, ressuscitado.

Felizmente, a maioria que assistiu ao vídeo teve o bom senso de tecer numerosas críticas, acusando-o de blasfêmia, de desrespeito. E essa respostas vieram por parte de seus fãs também. Outros grupos de humor que fizeram tanto sucesso e enveredaram pelo caminho tortuoso da heresia, hoje estão às moscas, com audiência zero.

Finalizo pedindo a Deus que com sua misericórdia o perdoe e que ele possa fazer sua arte sem ofender o próximo. Peço a Deus também, que derrame as mais escolhidas bênçãos celestiais a todos.

Marco Feliciano é pastor, foi reeleito Deputado Federal por São Paulo com quase 400 mil votos e preside a Assembleia de Deus Ministério Catedral do Avivamento.